quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Tâmega - À margem da lei






Tâmega é "zona sensível" desde 1999 mas é... como se nada fosse
À margem da lei

«Portugal arrisca-se a não cumprir os prazos fixados pela União Europeia para o bom estado da água dos rios. Há mais de 10 anos que foi publicada a lei que define as "zonas sensíveis" a serem tratadas, mas desde essa altura tem faltado muita sensibilidade no Rio Tâmega. » (sic)

Tâmega é "zona sensível" desde 1999 mas é... como se nada fosse


VEJA O VÍDEO E COMENTE >

Patrícia Nogueira, in SIC - Nós por cá - 30 de Setembro de 2009

[Rio Olo] Um rio só se mata uma vez

Um rio só se mata uma vez

Serra do Alvão: pinheiros-bravos (Pinus pinaster Aiton) nas margens do rio Ôlo, perto das Fisgas de Ermelo
Fotos: © Paulo V. Araújo

Logo após deslizar por uma sucessão de piscinas naturais talhadas no granito, o rio Ôlo encontra as Fisgas de Ermelo, onde se precipita numa cascata com um desnível de duas centenas de metros. Mas não é esse fenómeno natural que mata o rio: incólume apesar da queda, ele prossegue o seu curso, agora menos acidentado, até se juntar ao Tâmega, em Fridão.
.
Quem tudo fez para matar o rio foi o coveiro dos nossos espaços naturais: o mesmo que usa o risível pseudónimo de ministro do ambiente e que está, felizmente, de saída do cargo (oxalá não volte). O programa de construção de barragens apadrinhado pelo Governo prevê nada menos que cinco novas barragens na bacia do Tâmega, todas acima de Amarante. Uma delas, a de Fridão, apenas seis quilómetros a montante da cidade de S. Gonçalo, armazenará uma massa de água capaz de submergir Amarante num abrir e fechar de olhos. Outra, a de Gouvães da Serra, no concelho de Vila Pouca de Aguiar, seria em parte alimentada por um transvase do rio Ôlo; com quase todo o seu caudal desviado para norte pouco depois da nascente, o rio praticamente desapareceria.
.
A Iberdrola, empresa eléctrica espanhola à qual caberá construir e explorar as quatro barragens no Alto Tâmega (a barragem de Fridão calhou à EDP), poderia, se quisesse, fazer o transvase do rio Ôlo, pois era isso que estava previsto na concessão que lhe foi entregue pelo Governo Português. Mas, a 3 de Fevereiro passado, em sessão pública na Faculdade de Engenharia do Porto, um responsável da Iberdrola explicou que a «empresa decidiu não efectuar o transvase do rio Ôlo – embora concessionado no projecto – porque seria um grave crime ambiental destruir a cascata de Ermelo». (Mais detalhes nesta página.)

É sem dúvida edificante. O Governo leva de bandeja um rio ao altar do sacrifício, mas o oficiante da cerimónia, incumbido do acto sangrento, recusa-se a executá-lo por entender tratar-se de um grave crime ambiental. São os empresários espanhóis, e não o Governo da República Portuguesa e os seus ministros, que zelam pela integridade do Parque Natural do Alvão. Ao lançar um infame «Programa Nacional de Barragens» que vai destruir o Sabor, o Tua e o Tâmega, o Governo assumiu-se, em relação ao interior norte do país, como potência colonial ocupante, explorando para exclusivo benefício seu e dos seus amigos as riquezas naturais dos territórios subjugados.

Paulo Ventura Araújo, in Dias com Árvores - 26 de Setembro de 2009

O (mau) estado da nação

O (mau) estado da nação

Como se as torrentes de política suja não fossem já suficientes, continua quase "tudo como dantes, no quartel de Abrantes".
Tal e qual como no Tâmega, para onde continua a vazar esta cascata de esgoto, mesmo ali nas barbas de S. Gonçalo, mesmo em dia de eleições, a mostrar aos mais distraídos a cloaca em que o rio (e o país) se tornou.

video

ESGOTO DE AMARANTE EVACUA NO TÂMEGA EM DIA DE ELEIÇÕES
Hoje que é domingo (27/09) e dia de Eleições Legislativas de 2009, em pleno centro histórico de Amarante, exactamente em frente à porta do Santo, o esgoto cumpriu mais uma vez, pronta e plenamente, o serviço de evacuação emergente no rio Tâmega...
continua no blogue Anabela Magalhães

Elsa Duarte, in Olhai os lírios da Campos - 28 de Setembro de 2009

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Crime Ambiental em Amarante

Crime Ambiental em Amarante

Na segunda-feira passada falei do problema que afecta a rede pública de esgotos, aqui mesmo no centro de Amarante. De facto na segunda-feira a rede de esgotos entupiu, ou lá o que foi, e a m****a caiu, qual cascata, sobre os rochedos da margem direita do Tâmega e daí escoou, com toda a naturalidade, para o rio. Afirmei que era um problema recorrente, sentido amiúde aqui bem no coração de Amarante, em pleno largo de S. Gonçalo e não menti.

Pois ontem, em plena tarde de dia eleitoral, com o Largo cheiinho de povo, voltou ao mesmo. Só que, desta vez não há fotografias mas, em sua vez, há um pequeno filme, que partilho aqui na blogosfera, para que todos os meus leitores saibam bem do que falo. Pena que ainda não se possa gravar o cheiro a m****a que se espalhou pelo Centro Histórico como fogo num palheiro!

Bom, pensando bem... melhor assim... é que corria o risco de ficar sem clientela...

Aqui chegada não posso deixar de agradecer a um leitor assíduo deste blogue, presumo que ainda por aqui se mantenha, e que foi meu aluno em tempos que já lá vão, exactamente na E. B. 2/3, contemporâneo do Ricardo Pinto, Luís Pereira de seu nome.

Muitíssimo obrigada, Luís. Fico tão contente por saber que também não és indiferente perante isto!

video


E aqui deixo o testemunho, indignado, de quem ontem assistiu a tão peculiar cascata.
Eu bem digo! Isto ainda vai atrair turismo!
É que é original de carago! A nossa cascata é bem mais linda que as vulgares cascatas de água que existem por este país fora... não é?

Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães - 28 de Setembro de 2009

AMARANTE EVACUA NO TÂMEGA EM DIA DE ELEIÇÕES LEGISLATIVAS

AMARANTE EVACUA NO TÂMEGA EM DIA DE ELEIÇÕES LEGISLATIVAS
.......................................................................Fotografia: Anabela Magalhães

Hoje que é domingo (27/09) e dia de Eleições Legislativas de 2009, em pleno centro histórico de Amarante, exactamente em frente à porta do Santo, o esgoto cumpriu mais uma vez, pronta e plenamente, o serviço de evacuação emergente no rio Tâmega. Tanto monta que as águas residuais sigam seu percurso na insuficiente e debilitada rede de saneamento ou sejam aliviadas sob o olhar incrédulo de quem passa e visita a cidade, seja qual for o dia da semana ou o mês do ano, se o destino do eflúvio em trânsito seria sempre o mesmo, quando na passagem só sobrecarregaria a ‘nova’ e já esgotada ETAR de Amarante.

............................................ ..........Fotografia: descarga de lamas oleosas no rio Tâmega (15 de Junho de 2009)

Eram pelas 16H00. Enquanto a descarga eleitoral se mostrava nas urnas pouco concorrida o esgoto no centro urbano de Amarante cumpria abundantemente o seu escrutínio.

Com o superior enquadramento de dois monumentos nacionais (Ponte e Convento), no Largo de São Gonçalo (Praça da República), saído em jorro do alto da parede granítica a espelhar no rio Tâmega, o cenário do esgoto não podia registar melhor (pior) sinal da sua republicana existência. O som da descarga caída livremente sobre o metálico passeio pedonal e batida na pedraria granítica das rochas que fixam a margem sobranceira à Igreja do convento, conjugando os odores pestilentos que contaminavam a sombra onde se vendia o pão e o doce e apertavam a respiração dos transeuntes desde a Alameda Teixeira de Pascoaes, não enganava quanto à origem da fonte.

Não!... Aquele caudal lamacento e churro não era 'obra' de Santo nem provinha do endereço conventual que acolhe a Câmara Municipal de Amarante nas costas de Pascoaes. Mas, logo ali, desde a Alameda ao Largo, se confronta a «seriedade» e o «rigor» da política local que fecha os olhos e o nariz a tanta imundice, nessa torrente urbana nojenta onde se reflecte o resultado da demagogia e gongorismo que Amarante não consegue esconder aos olhos e nariz da cidade.

José Emanuel Queirós, in PlenaCidadania - 27 de Setembro de 2009

Ler ainda no blogue PlenaCidadania:

«
EM AMARANTE O ESGOTO REGURGITA…»

«
COM O SANEAMENTO A 17% E O MINISTRO DO AMBIENTE EM DÉFICE»

«
TÂMEGA (AMARANTE) – AGOSTO 2008 – OS DESTROÇOS DE UM RIO»

domingo, 27 de setembro de 2009

O Tâmega, a poluição e o alguedo

O Tâmega, a poluição e o alguedo

........................................................... ..........Tâmega - Tujidos - 24 de Setembro de 2009 - Amarante
........................................................... ..........Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
.
Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães (ver aqui, aqui, aqui, e aqui) - Setembro de 2009

sábado, 26 de setembro de 2009

O QUE POSSO EU FAZER PELO RIO TÂMEGA?

O QUE POSSO EU FAZER?
MUITO! POSSO FAZER MUITO PELO RIO TÂMEGA...

Posso ficar a conhecer;
Posso indignar-me;
Posso denunciar;
Posso divulgar;
Posso fazer perguntas aos responsáveis;
Posso participar nas acções de protesto;
Posso juntar-me ao Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega que luta pela defesa do rio;
Posso assinar a petição de oposição à construção de mais barragens no Tâmega, em http://www.petitiononline.com/PASB2008/petition.html
Posso julgar na mesa de voto;
Posso ser um ser humano responsável e solidário;
Posso continuar a passar esta mensagem para que todos saibam.

SIM, EU POSSO FAZER MUITA COISA PELO (MEU) RIO!

António Costa (Amarante) - 26 de Setembro de 2009
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega

Destroços do rio Tâmega em Agosto de 2009

DESTROÇOS DO RIO TÂMEGA EM AGOSTO DE 2009




extramar, in YouTube - 25 de Setembro de 2009

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Bloco de Esquerda - Programa eleitoral cancela construção da barragem de Fridão

Bloco de Esquerda
Programa eleitoral cancela construção da barragem de Fridão

O Bloco de Esquerda inscreveu no seu programa eleitoral a intenção de se opor à construção de três das barragens previstas no Programa Nacional de Barragens com Elevado Potencial Hidroeléctrico, aprovado pelo Governo de José Sócrates.

Pode ler-se no programa eleitoral do BE:

"CANCELAMENTO DA CONSTRUÇÃO DAS BARRAGENS DO RIO SABOR, TUA E FRIDÃO
A barragem prevista para o rio Sabor, o último rio selvagem em Portugal, é irrelevante para a produção de energia eléctrica, não serve para o abastecimento humano ou para a irrigação de campos agrícolas, não terá um contributo visível no cumprimento das metas nacionais estabelecidas no Protocolo de Quioto nem sequer serve para a regularização dos caudais do Douro. Deve ser por isso cancelada. O mesmo se aplica à barragem do Tua, que destruirá uma via-férrea histórica única, e à barragem de Fridão, que afecta gravemente a população de Amarante."

in Por Amarante, Sem Barragens - 22 de Setembro de 2009

Apontamentos setembrinos






Apontamentos setembrinos

1. Neste mês algumas imagens, digamos, horripilantes, das estagnadas águas do rio Tâmega, presentes na Albufeira do Torrão em Amarante, foram bastante mediatizadas. Suficiente para que a Quercus efectuasse uma conferência de imprensa e exigisse, ao Ministério Público, uma investigação para apurar as responsabilidades institucionais dos diversos intervenientes públicos e privados na eutrofização daquelas águas. Um crime ambiental evidente, tanto pela acção directa do poluidor como da passividade criminosa das entidades responsáveis pela qualidade daquelas águas.
A Quercus, também, instigou para que as populações de Celorico e Mondim de Basto fossem conhecer o estado degradante das estagnadas águas da albufeira do Torrão (consequência da barragem do Torrão) para terem uma visão futura do que poderá acontecer com a albufeira resultante da implementação da barragem de Fridão.
Fica o aviso e o alerta para um futuro pouco “ambiental” para um projecto hidroeléctrico acarinhado por muitos dos políticos do Baixo Tâmega e renegado pela realidade.

(...)

Marco Gomes, in O BASTO - 20 de Setembro de 2009

terça-feira, 22 de setembro de 2009

[Ainda o rio Tâmega] Por vezes o caro... também sai caro, e...

Por vezes o caro... também sai caro, e...

... o que podia ser um Paraíso vira um Inferno.

Paga, Zé! Aguenta, Zé! Cala, Zé!

.................................................................................Amarante mirando-se no Tâmega infecto

Hoje empresto a voz a quem vive este pesadelo.

Para ficar a par dos pormenores desta catástrofe siga até aqui e aqui.

A que interesses se deve esta "barragem de silêncio nacional" sobre um assunto tão grave quanto este?
E que país é este que, sem punição, em pleno século XXI e em plena Europa, se dá ao desplante, à lata, à irresponsabilidade, ao crime de ter no seu território um rio Tâmega neste estado caótico, moribundo, agonizante?


E apesar das obras de alindamento do Largo de S. Gonçalo, com recurso a projecto do arquitecto Távora, galeria técnica xpto e da enormesca fatia de dinheiro do erário público enterrada naquela obra granítica, não sei como foi possível não precaver situações como a que hoje pudemos assistir e que foi apenas mais uma das muitas que ocorrem em pleno coração da cidade de Amarante.

Ao que parece, e segundo o técnico da empresa Águas do Ave que vinha "resolver" o caso, a tubagem foi mal dimensionada e, de quando em vez, a pressão exercida pelo detritos é de tal ordem que rebenta com umas tampas que por lá existem na galeria técnica criando uma cascata imunda, nojenta e pestilenta que cai cá bem de cima, em pleno muro que sustenta o Largo de S. Gonçalo...
Anabela Magalhães
.
O Tâmega – que já foi rio às portas de Amarante – agoniza a reserva de água na «zona sensível» (Decreto-Lei n.º 152/97, de 19 de Junho) da albufeira do Torrão, pela carga de nutrientes que lhe é vertida no leito.Desde há muitos anos, em toda a extensão da albufeira criada pela Barragem do Torrão (Alpendorada - Marco de Canaveses), a prolífica cultura de algas azuis dá um colorido endémico muito verde, intensamente pastoso e pestilento às águas, imediatamente a jusante da cidade de Amarante. As suas margens, classificadas de «domínio público hídrico», outrora debruadas de areias douradas são agora pântanos de lodos negros, fétidos e nojentos onde se acumulam pastas verdes, sobras marginais de todo o tipo, lixos e latas, testemunhos de uma deplorável morbidez planetária que a civilização insustentável alcançou em terras amarantinas e o Estado consente.

O rio é vital para o concelho e a região, onde a cidade alivia os efluentes que poderiam afogar a obsoleta ETAR de Amarante, pronta a ser desmantelada e substituída há vários anos – concluída e inaugurada apenas há 10 (Fev.1999) com «equipamentos de última geração vindos expressamente de Inglaterra». (Ler mais aqui.)
José Emanuel Queirós

....................................................................Cascata de esgoto. Ainda bem que as fotos não têm cheiro!

Fotografias de Anabela Magalhães

Elsa Duarte, in Olhai os lírios da Campos - 21 de Setembro de 2009

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Vale a pena divulgar as denúncias que o blogue Anabela Magalhães faz da poluição no rio Tâmega

Vale a pena divulgar as denúncias que o blogue Anabela Magalhães faz da poluição no rio Tâmega

Foto: Anabela Magalhães, de preto e óculos escuros, à segunda a contar da esquerda. À porta do Restaurante no último almoço do ProfAvaliação, sábado passado

1. Há muitos meses que me habituei a ler o blogue Anabela Magalhães e a admirar a editora pela coragem, frontalidade e postura crítica face aos diversos poderes que asfixiam as liberdades e aniquilam a escola pública de qualidade.

2. O blogue Anabela Magalhães tem dedicado espaço à denúncia da situação em que se encontra o Rio Tâmega. As fotografias que a Anabela divulga no blogue, mostrando um rio conspurcado e abandonado pelas entidades que deviam cuidar do ambiente e perseguir os poluidores, merecem ser vistas por muitos. Além do mais, as fotografias e os textos que as acompanham podem ser usadas com proveito nas aulas de Formação Cívica.

Ramiro Marques, in PROFAVALIAÇÃO - 21 de Setembro de 2009

É urgente salvar o rio Tâmega

É urgente salvar o rio Tâmega

.....................................................................Fotos de Anabela Magalhães.
O rio Tâmega, que passa em Amarante, está a causar um misto de dor e repulsa aos seus habitantes. Um curso de água que podia ser cristalina e cheia de peixes transformou-se, após a construção da barragem do Torrão, num charco infecto e putrefacto, mercê das descargas das ETARES da região.

A QUERCUS já está alertada para o problema e as populações sensibilizadas para a sua resolução. É preciso que vontades determinantes se movam e que as várias televisões lá vão ver aquilo em que este rio se transformou. Trata-se de um desastre ecológico e um crime ambiental. Urge remediar este mal - ajudemos a salvar o Tâmega denunciando aos quatro ventos esta situação!

Helena Feliciano, in Pérola de Cultura - 21 de Setembro de 2009

Um rio? Será o rio Tâmega?

Um rio? Será o rio Tâmega?

.....................................................fotografias de Anabela Matias de Magalhães

A água límpida é muitas vezes fonte de inspiração para escrever um texto, quer em prosa, quer em verso.
Perante estas duas fotos, todas as palavras seriam portadoras de um sentimento de desânimo, de revolta, contra quem não presta a devida atenção à natureza.
.
Eduarda Soares, in Ler é viver - 21 de Setembro de 2009

Amarante, a Poluição e o Turismo

Amarante, a Poluição e o Turismo

............................................................................................Poluição - S. Gonçalo - Amarante
............................................................................................Fotografia de Anabela Matias de Magalhães


Aqui deixo a sugestão aos políticos desta cidade. Se não são capazes de solucionar este problema, que afecta o coração de Amarante, pelo menos aproveitem-no como atracção turística para nacionais e estrangeiros à procura de situações insólitas.

Imprimam folhetos explicativos da coisa. Fotografem a cascata pestilenta e coloquem umas fotografias bem elucidativas do que se passa com os esgotos em Amarante. Juntem uma pitada de cheiro, fundamental para atrair a turistada curiosa e sempre de máquina fotográfica em punho e olfato apurado.

Juntem o cheiro da ETAR e umas fotografias do alguedo tiradas a jusante desta mesma ETAR e por certo não faltarão turistas a visitar-nos, ansiosos por conhecer uma terra tão bela que se permite ter um rio assim.

Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães - 21 de Setembro de 2009

O Tâmega e o Esgoto ou o Esgoto do Tâmega

O Tâmega e o Esgoto ou o Esgoto do Tâmega

.......................................................................Poluição no Tâmega - S. Gonçalo - Amarante
.......................................................................Fotografias de Anabela Matias de Magalhães
.
As fotografias que hoje publico foram acabadas de tirar.

Estava eu a tomar o meu café matinal quando sou "surpreendida" por um cheiro nauseabundo a esgoto, em pleno Largo de S. Gonçalo. As pessoas que por lá passavam torciam o nariz perante semelhante pivete, a estrangeirada tirava fotografias a tão insólito panorama, e as pessoas lá iam percebendo e tomando conhecimento do "problema" que é esta constante falta de respeito pelo rio, permitida pelas entidades responsáveis cá do burgo.

Na verdade o problema é velho. E apesar das obras de alindamento do Largo de S. Gonçalo, com recurso a projecto do arquitecto Távora, galeria técnica xpto e da enormesca fatia de dinheiro do erário público enterrada naquela obra granítica, não sei como foi possível não precaver situações como a que hoje pudemos assistir e que foi apenas mais uma das muitas que ocorrem em pleno coração da cidade de Amarante.

Ao que parece, e segundo o técnico da empresa Águas do Ave que vinha "resolver" o caso, a tubagem foi mal dimensionada e, de quando em vez, a pressão exercida pelo detritos é de tal ordem que rebenta com umas tampas que por lá existem na galeria técnica criando uma cascata imunda, nojenta e pestilenta que cai cá bem de cima, em pleno muro que sustenta o Largo de S. Gonçalo, directamente para as belas margens do Tâmega, espalhando um líquido aromático que está longe de se aproximar de qualquer perfume tolerável.

Quando assim acontece é preciso chamar um técnico da empresa Águas do Ave, responsável pela manutenção da coisa. Quando vim para casa lá continuava o homem munido de duas tampas de substituição das tampas rebentadas, à espera duma dita cuja chave que lhe permitiria, finalmente, o acesso à galeria técnica e que, apesar de chique, tem os problemas que se vê.

O Tâmega, a jusante de Amarante, não está como aqui foi denunciado por obra do espírito santo de orelha. Os problemas são constantes, reais e estão à vista de todos. Todos os conhecem. As descargas para o rio são múltiplas e variadas e fazem-se nas nossas barbas. Os problemas são conhecidos. Só não são é resolvidos, o que eu lamento profundamente.

A nós, amarantinos, cabe-nos denunciar publicamente o que se vai passando por aqui e por aqui, com uma certeza - ou revertemos rapidamente a situação ou pagaremos bem caro esta falta de respeito pelos recursos hídricos.

Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães - 21 de Setembro de 2009

domingo, 20 de setembro de 2009

Baixo Tâmega: Quercus quer investigação do Ministério Público sobre degradação do Tâmega








Baixo Tâmega
Quercus quer investigação do Ministério Público sobre degradação do Tâmega

Na Barragem do Torrão acumula-se todo o tipo de poluição proveniente das águas residuais urbanas e industriais A associação ambientalista Quercus pediu hoje a "pronta intervenção e investigação do Ministério Público", para apurar responsabilidades sobre o "estado de degradação" em que se encontra o Rio Tâmega.

"O Rio Tâmega, às portas de Amarante, reflecte no espelho da albufeira do Torrão a perda da qualidade das águas que deviam ter capacidade para usos múltiplos", salienta a Quercus, em comunicado distribuído após uma conferência de imprensa.

Segundo a associação, "nas águas estagnadas pela Barragem do Torrão (Alpendorada e Matos - Marco de Canaveses) - a primeira com que o Ministério do Ambiente iniciou a artificialização do Tâmega - acumula-se todo o tipo de poluição proveniente das águas residuais urbanas e industriais que ainda não foram eliminadas do rio".

"A situação é de tal modo insustentável que o estado eutrófico que o Rio Tâmega apresenta é visível à vista desarmada", sublinha a Quercus, acrescentando que "a má utilização do domínio público hídrico do Rio Tâmega tem no concelho de Amarante a expressão mais significativa".
A Quercus destaca o "mau estado de funcionamento da nova ETAR [Estação de Tratamento de Águas Residuais] da cidade - inaugurada há 10 anos, e já dada por obsoleta e pronta a ser desmantelada" - e a "baixíssima taxa de 17 por cento de cobertura de saneamento básico".

A associação "apela também às populações de Mondim de Basto e Celorico de Basto que se desloquem ao local para que vejam com os seus próprios olhos o possível futuro do Rio Tâmega na albufeira da prevista barragem do Fridão".

Lusa, in Terras do Vale do Sousa - 15 de Setembro de 2009

Barragem de Fridão - Estudo de Impacte Ambiental na posse do Instituto da Água

Barragem de Fridão - Rio Tâmega
Estudo de Impacte Ambiental na posse do Instituto da Água


De acordo com o concurso da patranha nacional que tomou a designação de Programa Nacional de Barragens com Elevado Potencial Hidroeléctrico, a EDP já tem em seu poder o Estudo de Impacte Ambiental (EIA) que encomendou sobre a Barragem de Fridão. E no passado dia 17 de Setembro a EDP-Produção fez a entrega do Estudo de Impacte Ambiental e do Anteprojecto da obra no Instituto da Água, IP (Autoridade Nacional da Água), entidade licenciadora do projecto.

Esta é a fase terminal da tramitação burocrática de um processo ilegal, mercenário e contranatural, de espoliação de recursos não renováveis do Tâmega e de toda a sua região, que tem merecido acesa e fundamentada contestação das populações locais, enquanto as autarquias locais fazem o jogo dos poderosos interesses em campo.

Sem travão judicial, seguidamente o Instituto da Água remeterá o processo para a Agência Portuguesa de Ambiente (APA) que desencadeará o procedimento de Impacte Ambiental, no qual está incluído um período de consulta pública.
Se os prazos a definir pela APA seguirem os tempos que têm sido habituais neste tipo de procedimentos, é expectável que a fase farsante da «Consulta Pública» ao Estudo de Impacte Ambiental da Barragem de Fridão ainda possa ter início este ano de 2009, talvez no decurso do mês de Dezembro.


José Emanuel Queirós - 20 de Setembro de 2009
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega (Amarante)

À CONVERSA COM RICARDO PINTO - BASTIDORES DO PROGRAMA DE 19 DE SETEMBRO: «SALVAR O TÂMEGA E A VIDA NO ÔLO»






À CONVERSA COM RICARDO PINTO
BASTIDORES DO PROGRAMA DE 19 DE SETEMBRO: «SALVAR O TÂMEGA E A VIDA NO ÔLO»

O programa de 19 de Setembro «À CONVERSA COM RICARDO PINTO» foi bastante esclarecedor em todos os aspectos, penso que se ouviu todos os argumentos do Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega, dando-se a oportunidade a quem quisesse entrar na conversa.
Creio que a informação passou, uma informação, que ao contrário de outros órgãos de comunicação não se encontrou enviesada. Liberdade de expressão acima de tudo!
Em estúdio recebemos o Dr. Emanuel Queirós, geógrafo, que nos esclareceu os pontos fundamentais da temática rio Tâmega e construção da Barragem de Fridão.
Muito obrigado ao Movimento e em especial ao Dr. Emanuel Queirós e também ao coronel Artur Freitas por todos os esclarecimentos!
A todos um bem-haja!

MCDT - entrevista 1.ª parte


MCDT - entrevista 2.ª parte




Ricardo Pinto, in C.P.G, Gondar - 20 de Setembro de 2009

O repórter estava lá

O repórter estava lá

João Abreu, in Harpa e Dança - 15 de Setembro de 2009

Quercus quer investigação sobre degradação do rio Tâmega

in Sol Online - 15 de Setembro de 2009

AMBIENTE - MP deve intervir no Tâmega









in GRANDE PORTO (N.º 12, Ano I - p. 12) - 18 de Setembro de 2009

AMBIENTE - Quercus insurge-se contra degradação do Rio Tâmega












in O Jornal de Amarante (N.º 1530, ano 30 - p. 2) - 17 de Setembro de 2009