domingo, 25 de outubro de 2009

PELO RIO TÂMEGA CONTINUAR O «MANIFESTO ANTI-BARRAGEM»

PELO RIO TÂMEGA CONTINUAR O «MANIFESTO ANTI-BARRAGEM»

Está volvido um ano desde que no dia 25 de Outubro de 2008 um grupo de cidadãos dos concelhos do Baixo Tâmega, reunido em assembleia na cidade de Amarante, aprovou o Manifesto Anti-barragem «Salvar o Tâmega e a Vida no Olo».
Desde então, enquanto plataforma de intervenção cívica, o «
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega» (MCDT) tem proporcionado tomar posição pública em causas que se prendem com o interesse geral não cobertas por nenhuma outra voz ou organização cívica, ao mesmo tempo que vem procurando consciencializar as populações, as instituições políticas e os decisores para as mais directas problemáticas reflectidas no rio Tâmega, ainda que o seu potencial de intervenção e de mobilização para os assuntos que enfrentamos – barragens e poluição – esteja condicionado pela natureza informal do grupo e pelas disponibilidades que a cada elemento do seu núcleo fundador se oferecem.
Na partilha de objectivos que são comuns de Basto a Amarante, o «Movimento» é, na sua essência, a própria
vontade colectiva de um povo sensível aos apelos da Terra e ao valor da Água para a vida, querendo o Tâmega como sempre foi, rio no seu leito, pleno de vida, antes que tenhamos de nos confrontar com a rudeza e a crueldade do absurdo contido no acto proxeneta e mercenário do concessionamento da água às eléctricas e com os efeitos da autorização do disparate monumental de barrar o fluxo do seu caudal com a construção de gigantescas paredes de betão sobre o seu leito natural.
O Tâmega espera ter-nos do seu lado, enquanto consciências e parceiros da totalidade sistémica que nele acontece, aguardando propulsão e acção que o resgate da saga que lhe destrói seu úbere e nos dilacera a alma. É connosco que ele conta e esse é o desafio colectivo presente mais elevado para a região em que as circunstâncias da vida e os tempos de atribulação que passam nos colocaram.
Por isso, perante esta causa colectiva de superior interesse, cada um por si, na sociedade, é intermediário de um mal-estar latente repercutido do estado das águas que continuam a exigir a atenção e a acção de quem de direito e que se tornou incontornável domínio do movimento da vida que há em cada um de nós.
É do conhecimento público
o estado deplorável que o rio Tâmega exibe, não por sua própria falência mas como consequência das medidas avulsas, mercenárias, desintegradas, insustentáveis e do incumprimento da Lei, que se repercutem no seu dorso fluido na forma que vemos.
A recente
tomada de posição da Quercus (15/09) sobre o profundo estado de agonia em que se encontram as águas do rio Tâmega, solicitando “a pronta intervenção e investigação do Ministério Público” para apuramento das responsabilidades institucionais pelo que designou de “a vergonha do ambiente em Portugal”, merece continuidade das forças vivas presentes no território, mormente daqueles que estão mais conscientes do estado degradado em que o rio foi colocado, contrariando a atitude displicente, sobre recursos finitos indispensáveis e o nosso meio em causa, que se denota da parte das entidades e dos que se esperariam mais responsáveis.

José Emanuel Queirós, in PlenaCidadania - 25 de Outubro de 2009
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega

Ler ainda em PlenaCidadania:
«
E AGORA, AMARANTE?... – Três barragens para o Tâmega: Fridão, Daivões e Vidago»
«
«PROGRAMA NACIONAL DE BARRAGENS» – CONTRIBUTO PARA UM DEBATE PÚBLICO NA BACIA DO RIO TÂMEGA»
«
AM DE AMARANTE SEM MEIOS PARA AVALIAR BARRAGEM DE FRIDÃO»
«
BARRAGEM DE FRIDÃO/«CASCATA DO TÂMEGA»: A CRUELDADE E A INCOMPETÊNCIA DO «SOCIALISMO» NO GOVERNO E EM AMARANTE»
«
AMARANTE E O VALE DO TÂMEGA NA PENEIRA DOS ELEITOS LOCAIS»
«
PETIÇÃO POR AMARANTE E PELO RIO TÂMEGA – ASSINA TAMBÉM»
«
BARRAGEM DE FRIDÃO – CONSEQUÊNCIAS PREVISÍVEIS NO TÂMEGA»
«
AINDA A BARRAGEM DE FRIDÃO – ÚLTIMO RECURSO POR AMARANTE»
«
BARRAGEM DE FRIDÃO – EMERGE O DEBATE EM MONDIM DE BASTO»
«
NÃO À BARRAGEM DE FRIDÃO! – DEBATE EM AMARANTE (27.09.08)»
«
SALVAR O TÂMEGA E A VIDA NO OLO – MANIFESTO ANTI-BARRAGEM»
«
PORTUGAL REGRESSA À POLÍTICA DAS BARRAGENS 50 ANOS DEPOIS»
«
BARRAGENS NO TÂMEGA – COM ESCLARECIMENTO E PREOCUPAÇÃO»
«
CINCO BARRAGENS PARA O TÂMEGA – ENTRE A CRUELDADE E O MONSTRO»
«
A BARRAGEM DE FRIDÃO NO PLENÁRIO INTERMUNICIPAL DA CIM-TS»
«
A BARRAGEM DE FRIDÃO-AMARANTE NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA»
«
BARRAGENS NO TÂMEGA CHEGARAM À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA»
«
PATRANHAS DE UM PROGRAMA COM BARRAGENS ‘À PORTUGUESA’»

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Cine H2O - 1.º Festival Ibérico de Imagens Sobre os Temas da Água

Mirandela, 13, 14 e 15 de Novembro de 2009
Cine H2O - 1.º Festival Ibérico de Imagens Sobre os Temas da Água
.
Em co-organização com as Produções PEO, a COAGRET – edição portuguesa promove o 1.º Festival Ibérico de Imagens sobre os Temas da Água (Cine H2O) a realizar no Centro Cultural de Mirandela a 13, 14 e 15 de Novembro de 2009.

O Festival tem como objectivos a divulgação das obras cinematográficas e televisivas relacionadas com os rios e os recursos hídricos em geral, incluído os relativos à água de beber e a educação ambiental.
Nesta 1.ª edição do Cine H2O serão utilizados meios técnicos simplificados. O objectivo é realizar uma mostra e preparar a abertura do concurso para a edição de 2010.

A informalidade marcará esta e as próximas edições: é um Festival para a cidadania não sendo restrito a um público específico ou a uma idade determinada.
Fundamental é o espaço para debate com os autores (realizadores, produtores, actores, repórteres) imediatamente após a visualização de algumas projecções.

Cine H2O 2009

(verifique as informações no programa oficial):


Programa

dia 13/11/2009 (sexta-feira)

18h00 - recepção na Livraria Livros&Coisas (Rua da República, 157 - telf. 278203157)


Centro Cultural de Mirandela (Grande e Pequeno Auditório)

21h00 - "En Nombre del Interesse General" DOC 30', Espanha ©COAGRET, 2008

sinopse: "Interesse público" é a expressão maldita com que os governos do mundo geralmente escondem alguns interesses privados. Em nome do suposto "interesse geral" continuam a propôr-se grandes obras hidráulicas, barragens e transvases, que destroem comunidades locais e representam barbaridades ecológicas, económicas e sociais para as regiões e os países. Da união entre académicos, ecologistas e camponeses dos Pirinéus nasceu a Coordenadora de Afectados pela Grandes Barragens e Transvases, lutando pela defesa da causa dos rios vivos e dos interesses das populações que, directa ou indirectamente, se sintam afectadas pela ameaça barragista.

21h30 - cerimónia de abertura oficial do Festival, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Mirandela, Alcaides de Sanabria e Ribadelago

22h00 - "Catástrofe en Ribadelago 1959-2009" DOC 55', de Luís Navas, Espanha ©Hepkra-LaRayaQuebrada, 2009

sinopse: Na madrugada do dia 9 de Janeiro de 1959 as águas rebentaram a barragem de Vega de Tera, da empresa hidroeléctrica do Moncabril, perto da nascente desse rio e a escassos quilómetros do lago de Sanábria.
A avalanche de água, rochas e grandes troncos de árvores arrasou a aldeia de Ribadelago em 14 intermináveis minutos e 144 dos seus habitantes morreram afogados. Apenas se resgataram do lago de Sanábria 28 cadáveres.
Vega de Tera era a barragem e 144 vítimas mortais que alguns gostariam de esquecer.


dia 14/11/2009 (sábado)

09h00 - partida da Estação de Caminhos de Ferro de Mirandela para descida do rio Tua em canoas e kaykaks (troço: jusante da ponte-açude de Mirandela até ao Cachão).
org: Escola de Canoagem da Terra Quente e Gondiana

13h00 - almoço no Restaurante Fontes [Complexo Agro-Industrial do Cachão, €7 reserva antecipada]. Regresso de comboio a Mirandela

15h00 - sessões paralelas [curtas e médias metragens a anunciar]

16h40 - intervalo

17h00 - "Pare, Escute, Olhe" DOC 97', de Jorge Pelicano © CostaDoCastelo, 2009 - Portugal

sinopse: Em Dezembro de 1991 uma decisão política encerra metade da linha ferroviária do Tua, entre Bragança e Mirandela. 15 anos depois, verifica-se que essa sentença amputou o rumo do desenvolvimento, acentuando as assimetrias entre o litoral e o interior de Portugal. Agora a linha que resta, com 121 anos e possibilidade de ser declarada a 6ª na lista UNESCO do património da humanidade, é ameaçada por uma mega barragem. Este documentário é uma viagem através de um Portugal esquecido, vítima de promessas políticas oportunistas.

18h40 - debate com Jorge Pelicano, Rosa Silva, Pedro Couteiro (COAGRET), Daniel Conde e convidados

20h00 - jantar livre

21h30 - "Margens", de Pedro Sena Nunes, 1995 - Portugal

sinopse: Uma ponte vai ligar duas margens do rio Tua, no concelho de Mirandela. A inauguração é um momento de celebração e de representação dos papeis sociais: a classe política estratificada, comandada pelo sr. presidente que "sacava" os fundos europeus para obras, a banda de música, a igreja, o povo de ambas as margens. À margem desta festa percebe-se a importância antropológica do rio na vida das comunidades humanas que o envolvem.

23h00 - noite temática no "Belha Bar"


dia 15/11/2009 (domingo)

09h00 - "Vilarinho das Furnas", de António Campos, 1971 - Portugal

sinopse: Vilarinho da Furna era uma aldeia perdida no sopé da Serra Amarela, avistando a Serra do Gerês. Só uma estrada romana a ligava ao mundo, no final do 2º milénio, onde se mantinham costumes comunitaristas. O Governador Civil e o pároco defendem o projecto hidroeléctrico, chegando a humilhar e ameaçar dde excumunhão os habitantes daquela que é ainda hoje o mais conhecido (mas não o único) caso de aldeias afogadas por barragens em Portugal.

10h20 - debate com Manuel Antunes (ULHT/A Furna), Manuela Penafria (LabCom-UBI), Julian Ezquerra (COAGRET)

11h00 - reportagens televisivas seguidas de debate com jornalistas

- Regresso a Alqueva (de Carla Castelo, SIC 04/01/2009, 18'02")

Reportagem Perdidos e Achados http://videos.sapo.pt/HryABVSyGHntY82Bcagp

A barragem de Alqueva foi inaugurada em Fevereiro de 2002. O fecho das comportas encerrou um ciclo de quase 50 anos. O empreendimento de Alqueva começou a ser imaginado ainda em pleno Estado Novo. Antes de concluída a obra, a SIC fez várias reportagens na região e ouviu os sonhos das populações locais, as expectativas de autarcas e as preocupações de ambientalistas. A pequena aldeia que deu nome à barragem foi um dos locais visitados antes do enchimento da albufeira e agora quase 7 anos depois.

- O Feitiço da Luz (de Fernanda de Oliveira Ribeiro, SIC 10/2008, 15') Reportagem Especial

- Palhota: Aldeia Avieira (de Fernanda de Oliveira Ribeiro, SIC 13/08/2009, 7')

- A mão que agrava as cheias (de Carla Castelo, SIC 25/02/2008, 13'53") Reportagem Especial http://videos.sapo.pt/tkylm0crg5TpcNZDgRaW

A grande Lisboa tem sido frequentemente palco de cheias rápidas, ao longo das últimas décadas. Será que essas cheias têm sido agravadas pela mão do homem? Quem estuda este tipo de fenómenos diz que sim. Fomos para o terreno tentar perceber o que é que contribui para ampliar as consequências das inundações e encontrámos vários exemplos de acções e omissões. Mais de 40 anos depois das mortíferas cheias de 1967, continuam a cometer-se erros que já causaram mortos no passado.

- Projecto Rios (de Carla Castelo, SIC 14/02/2008, 5'31") http://videos.sapo.pt/ZEz1L9Fn8RPVtoH25lCY

Num país onde cerca de metade das linhas de água têm má ou muito má qualidade, um projecto cívico promete mudanças. No Terra Alerta contamos-lhe o que é o Projecto Rios. Uma iniciativa que nasceu na Catalunha em 1999 e que está a dar os primeiros passos em Portugal.


- Percurso Alviela (de Carla Castelo, SIC 23/09/2002, 3'01")

Um dos problemas ambientais por resolver no distrito de Santarém é a poluição do rio Alviela. Há mais de 40 anos que as populações ribeirinhas reivindicam a limpeza de um rio que sofre da proximidade da indústria de curtumes e de dezenas de pecuárias.

- Alviela (de Carla Castelo, SIC 13/03/2006, 3'31")

Câmara de Santarém e a Junta de Freguesia de Vaqueiros estão a recolher assinaturas para levarem o tema da poluição do rio Alviela ao Parlamento. O objectivo é conseguir 10 mil assinaturas, mais do dobro das exigidas por lei... para que uma petição popular seja discutida em plenário.

13h00 - almoço convívio (inscrição e pagamento antecipado, local a definir)

15h00 - sessões paralelas [curtas e médias metragens a anunciar]

17h00 - cerimónia de encerramento do 1.º Festival. Anúncio da 2.ª edição do Cine H2O

17h30 - [restrito] 2.ª reunião da Rede Nova Cultura da Água para a Bacia do Douro e outras bacias hidrográficas no norte de Portugal

POLÍTICA NOJENTA - Serão Recados?

POLÍTICA NOJENTA
Serão Recados?

Continuo a encontrar pessoas, ao acaso, nas minhas deambulações sempre a pé por Amarante, das minhas relações íntimas ou não, que se dirigem a mim com o único intuito de me darem os parabéns por ter ajudado a dar mais visibilidade ao problema da poluição no Tâmega.
A todos agradeço as palavras amáveis, muito embora considere que não fiz mais do que a minha obrigação, que é denunciar aquilo que conheço e de que tenho provas, quer em suporte fotográfico ou mesmo em filme.
A denúncia, principalmente a não anónima e que vem acompanhada de BI, é apenas a obrigação de qualquer cidadão minimamente responsável, é apenas o exercício de um direito/dever, de cumprimento muito doloroso neste país, por certo até um dos mais graves entraves ao nosso progresso enquanto Nação, e muito vilipendiado pelos partidos políticos, principalmente quando estão no poder, que eles transmutam logo à chegada e, se na oposição se comportam de uma forma, viram autênticos travestis quando se instalam nas cadeiras do poder e que o que era passa, rapidamente, a deixar de ser.
O que fiz foi apenas ajudar a denunciar uma situação escandalosa, foi apenas ajudar a denunciar o crime ambiental que por aqui se pratica com a maior das calmas, sem que isso pareça incomodar minimamente as forças políticas no poder, quer a nível autárquico, quer a nível nacional. Temo até que não tenhamos já Ministério do Ambiente e muito menos ministro do mesmo.
Não foi a primeira vez que a fiz, a denúncia, e os comprovativos estão espalhados por este blogue. Não foi, por certo, a última. Não fui sequer a primeira a denunciar tais factos, calhou apenas que algures em Setembro, jornalistas da SIC que têm por missão vasculhar blogues tropeçassem no meu e nas fotografias verdadeiramente dantescas e surreais, que eu captei com a minha câmara fotográfica, no dia 5 de Setembro de 2009. Escandaloso! O rio como a maioria das pessoas nunca o tinha visto! O rio que muitas pessoas recusam ver, ainda hoje, e eu até entendo porquê.
O que eu vi continua dentro da minha cabeça e, por vezes, parece até ganhar vida própria e agigantar-se lá dentro só para me incomodar. Compreendo que seja melhor não ter um rio pastoso e imundo preso no nosso interior.
Pois tudo isto para dizer que até ao dia de hoje tive duas excepções a estes parabéns simples e completamente descomprometidos. Duas excepções de pessoas por quem tenho estima, uma até particular estima.
Desde já tenho de contextualizar essas duas pessoas no burgo. Os dois são funcionários da câmara e não são propriamente daqueles anónimos, bem pelo contrário.Os dois abordaram-me com algum constrangimento pelo incómodo causado "lá dentro" por causa do timing... em plena campanha eleitoral... que "chatice!". "Ainda se fosse noutra altura!" "Pois, há logo leituras políticas, sabes como é!"
Um acrescentou-me os dados errados da taxa de cobertura de saneamento citados pelo Eng.º João Branco, da Quercus, os célebres 17% que constam numa célebre tabela da empresa que gere esta coisa aqui no burgo, chamada de Águas do Ave e que, segundo ele, está errada.
Pois não sei, e pouco me interessa o que está no papel. Interessa-me o que está feito na prática. A taxa de cobertura é maior? Óptimo! Corrijam lá os dados! E se lhes dá muito trabalho eu posso dar até uma ajudinha que nisto de fazer tabelas já me vou safando!
O que eu não vejo é o que isso altera a situação em que o Tâmega se encontra, em agonia que se quer silenciosa.
Resta-me declarar que não me movo por timings políticos e muito menos eleitorais. Movo-me por causas e esta é válida, sempre, em época de eleições legislativas (mera coincidência), em época de eleições autárquicas, ontem, hoje, amanhã, sempre.
Continuo a minha vida sem pálios protectores para além da minha consciência. Não tenho a protecção de nenhum grupo político, religioso, desportivo, cultural, o que seja. Não me escondo por detrás do grupo, não me agiganto porque estou no grupo.
Sou apenas eu. De cabeça bem levantada. Sem cartões rosa, laranja, azul ou o que quer que seja.
E deixo um último conselho aos senhores políticos: respeitem os munícipes! Respeitem as pessoas se é que querem ser respeitados. E, já agora, não se esqueçam que uma das vossas obrigações, enquanto eleitos, é zelar pelo bem-comum e dessa obrigação decorre o cuidado com a Natureza, que é única e insubstituível. Por isso, façam o vosso trabalho. Deixem-se de blás blás.
Quanto a mim continuarei a não me deixar espartilhar por qualquer agenda colorida de rosa, de laranja, de azul ou seja lá do que for.
Sim, eu sei! Esta atitude incomoda.

Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães - 22 de Outubro de 2009

terça-feira, 20 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

Reportagem da TVI sobre resíduos: Quercus exige fiscalização rigorosa








Reportagem da TVI sobre resíduos:
Situação denunciada é muito grave e Quercus exige fiscalização rigorosa

A estação televisiva TVI apresentou ontem, dia 16 de Outubro, após o Jornal Nacional, uma reportagem intitulada “Máfia Lusitana”, da autoria do jornalista Rui Araújo, onde são retratadas práticas ilegais de gestão de resíduos, que duram há mais de 4 anos, em grande escala e com potenciais danos negativos para o ambiente e saúde pública.
Na referida reportagem é possível confirmar-se a deposição de lamas de ETAR, resíduos industriais (nomeadamente cinzas), RCD - resíduos de construção e demolição, pneus, etc. em 7 locais não licenciados, nomeadamente em terrenos florestais, terrenos particulares e baldios em zonas protegidas, no Centro e Norte do País, em que um dos locais é junto ao Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

Qualquer operação de gestão de resíduos carece de licenciamento, o abandono ou má gestão (nomeadamente tratamento em locais não licenciados) é punido por lei.
Contudo, considerando os resíduos em questão e o resultado das respectivas análises a presente situação assume uma dimensão de crime contra o ambiente e também contra a saúde pública. Os referidos resíduos, alguns com classificação de perigosos, estão seguramente a poluir os solos, água e o ar.
A situação retratada na reportagem da TVI – Máfia Lusitana – faz-nos levantar as seguintes questões:
  • Como é possível existirem práticas destas de gestão ilegal de resíduos fomentadas por empresas de renome nacional, como é ocaso da CELBI (empresa do grupo ALTRI) produtora de pasta de papel que tem inclusive certificações na área do ambiente (Sistema de Gestão Ambiental, ISO 14001 e registo no EMAS)?

  • O que leva a operadores licenciados para a gestão de resíduos cometerem este tipo de infracções quando existem soluções técnicas a nível nacional para o tratamento dos mesmos?
  • O que está por detrás desta falta de actuação das entidades fiscalizadoras?
De referir que a Quercus considera escandalosa a incapacidade de actuação das entidades fiscalizadoras, nomeadamente da GNR. A associação fez recentemente queixa por telefone a dois postos da GNR (Posto da GNR da Lourinhã e da Moitas de Ferreiros) sobre o transporte e deposição ilegal de RCD na zona da Lourinhã. Contudo, para nosso espanto, ficámos a saber que, dias depois, a situação de transporte e deposição dos referidos resíduos se mantinha. Perante a situação, a Quercus apresentou queixa ao Comandante Geral da GNR no dia 30 de Setembro, do qual aguardamos resposta.

Recentemente, após informação recebida, a Quercus denunciou no dia 15 de Outubro, à Inspecção-Geral do Ambiente e Ordenamento do Território, a deposição/abandono de resíduos industriais no Covão do Coelho, no concelho de Alcanena. De referir que já houve colocação de saibro por cima, para camuflar a deposição de resíduos. Esperamos que as entidades fiscalizadoras actuem em conformidade perante mais este caso de deposição de resíduos industriais, alguns bastante perigosos, segundo as análises descritas na reportagem. (link para a queixa, localização e fotografias: http://residuos.quercus.pt/xFiles/scContentDeployer_pt/docs/DocSite1859.zip).
Porque razões acontecem estes “fechar de olhos” por parte das entidades fiscalizadoras? Existe corrupção? Falta de recursos humanos e materiais? Falta de formação/sensibilização?
A gestão correcta de resíduos gera empregos e recursos financeiros (impostos e taxas) para o Estado: de relembrar que já estão em funcionamento os CIRVER - Centros Integrados de Recuperação, Valorização e Eliminação de Resíduos. Estas empresas de tratamento de resíduos, nomeadamente perigosos, estão a enfrentar graves problemas financeiros/económicos por falta de resíduos a tratar justamente porque continua a verificar-se o abandono indiscriminado dos mesmos, um pouco por todo o País.

Quercus exige às autoridades resolução deste grave problema
A Quercus, face a esta situação, enviou hoje uma comunicação ao Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, Ministério da Administração Interna, Agência Portuguesa do Ambiente, Inspecção-Geral do Ambiente e Ordenamento do Território e Guarda Nacional Republicana, a exigir medidas de fundo que evitem a repetição destas ilegalidades.
A Quercus exige que sejam identificados todos os produtores de resíduos para que estes sejam envolvidos na remoção dos resíduos abandonados e na respectiva descontaminação dos solos. Importa ainda fazer-se uma fiscalização sistemática a estes produtores para que façam prova de que os seus resíduos passaram a ser enviados para locais licenciados para o respectivo tratamento e de que não mais repetem tais infracções

Lisboa, 17 de Outubro de 2009

A Direcção Nacional da Quercus
Associação Nacional de Conservação da Natureza/Centro de Informação de Resíduos

in Quercus - 17 de Outubro de 2009

Crimes Ambientais: Quercus exige fiscalização rigorosa







Crimes Ambientais:
Quercus exige fiscalização rigorosa

Reportagem da TVI «Ecomáfia Lusitana» denuncia práticas ilegais graves na gestão de resíduos perigosos, de onde sobressai um aterro ilegal em Figueiró (Santa Cristina), no concelho de Amarante.
Ver AQUI.

TVI, in TVI24 - 17 de Outubro de 2009

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Repórter TVI - Máfia Lusitana







Repórter TVI - Máfia Lusitana

Todos os dias, por esse país fora, são depositadas ilegalmente centenas de toneladas de resíduos tóxicos e de lamas de depuração em aterros clandestinos, situados em plena natureza (incluindo em reservas ecológicas nacionais e demais espaços naturais).
A TVI descobriu sete aterros ilegais, mas haverá muitos mais. O esquema, em alguns casos, já dura há 4 ou 5 anos, mas, aparentemente, ninguém deu por nada. E não é por haver também descarregamentos de noite. O segredo é a alma do crime.
A Ecomáfia Lusitana recorre a uma vasta teia de cumplicidades e de interesses: grandes industriais e municípios que concedem lucrativos mercados a firmas que não têm capacidade para gerir esses resíduos e empresas de camionagem que participam no esquema. Como se não bastasse, as autoridades pouco ou nada fazem.
Os malfeitores não poluem apenas os solos e as águas. As análises dos resíduos revelam a existência de compostos que provocam cianose, mutações genéticas profundas, alteração do sistema reprodutor, malformações graves, cancro. E, em alguns casos, a morte.
Onde há urgência há quase sempre crime mais ou menos organizado. Em Nápoles, a Camorra - a máfia local - transforma os resíduos em ouro. Em Portugal, a máfia não tem só um nome, mas a situação é idêntica. Ou quase, para mal do ambiente, da saúde pública e da credibilidade das instituições do Estado.
"Máfia Lusitana" é uma reportagem de investigação do jornalista Rui Araújo, com imagem de João Franco, Rui Pereira e Ricardo Silva, montagem de Carlos Lopes. Será emitida na próxima Sexta-Feira, dia 16 de Outubro, a seguir ao Jornal Nacional no Repórter TVI.

Ver reportagem AQUI.

REPÓRTER TVI in TVI - 16 de Outubro de 2009

[Rio Tâmega - Amarante] Os Esgotos... Esses Malandros!

Os Esgotos... Esses Malandros!

Os esgotos, esses malandros, não se compadecem com dias reservados a actos eleitorais e muito menos com os dias seguintes a eleições tão importantes como sejam as autárquicas.
Por aqui ganhou o ps, desta vez por uma unha negra, diga-se de passagem! Não interessa, interessa é que permanece inquilino da Câmara faz muito, muito tempo, tempo mais do que suficiente para já ter erradicado por completo estas descargas poluentes que se fazem amiúde no Tâmega!
Mas que raio de ideia me haveria de dar, agora com esta idade... andar à cata de descargas de m**da aqui bem no coração da cidade e publicitá-las, vejam bem!
Desta vez as fotografias não são minhas, que a esta hora, 10:30 desta manhã radiosa, estava já na escolinha a trabalhar no bem duro.
Soube desta malandrice dos esgotos pela hora de almoço. Felizmente houve quem descesse ao rio para apreciar o panorama e pelo menos um com máquina fotográfica. A prova do crime ambiental, um dos muitos que se cometem continuamente aqui no Tâmega, foi-me enviada para a caixa de correio electrónico, sem indicação de autoria e por isso agradeço, apesar de não saber a quem. Continuem a enviar-me as descargas, em cascatas variadas ou submersas, que são feitas no que ainda resta do Tâmega.
Para quem não conhece a zona, apenas esclareço que este tubo de esgoto se encontra submerso a montante da cascata já anteriormente postada neste blogue, que se situa imediatamente a seguir à Ponte Velha, visível numa das fotografias.
As descargas dos esgotos em pleno centro histórico de Amarante estão já próximo de se tornarem um ex-libris cá do burgo, atraindo gente incrédula de todas as partes do mundo. Porque as há para todos os gostos só nos faltando do tipo eruptivo. Mas quem sabe poderemos também arranjar esta em falta... em pleno Largo de S. Gonçalo seria um must!
De notar que este esgoto se encontra muito, mas mesmo muito próximo do edifício municipal.
Sem ironia e porque lhe desconheço a proveniência, pergunto:
Virá de lá?

Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães - 13 de Outubro de 2009

sábado, 10 de outubro de 2009

domingo, 4 de outubro de 2009

Onde está a comunicação social de Amarante?

Onde está a comunicação social de Amarante?

"Onde está a comunicação social de Amarante?" é uma das perguntas do momento no concelho. Isto porque nos últimos dias a informação disponibilizada aos cidadãos do concelho de Amarante tem sido diminuta e levanta suspeitas de condicionamento.

Veja-se que a informação relativa às Eleições Autárquicas tem sido cuidadosamente abolida, não se vendo referências às actividades que os partidos promovem. Não se viram referencias ao protesto ocorrido em Gatão devido ao encerramento da escola, nem se deu atenção à manifestação da QUERCUS relativamente ao estado de poluição do Rio Tâmega em Amarante.

Resta saber: onde está a comunicação social de Amarante?

in AmaranteHoje - 22 de Setembro de 2009

Barragem de Fridão em escrutínio público

BARRAGEM DE FRIDÃO EM ESCRUTÍNIO PÚBLICO

A Barragem de Fridão, esse projecto em carteira nas eléctricas desde o período áureo do Estado Novo, está em inquérito público no site da Câmara Municipal de Amarante.
A possibilidade de cada um manifestar sua opinião, sobre esse demoníaco projecto de construção em pleno leito fluvial do Tâmega, tem mero valor simbólico, mas na cruzada que os seus habitantes têm travado contra a vilania mercenária que reside neste garimpo, no que se considera uma ofensa danosa irreversível aos equilíbrios ambientais da região e em que se manifesta assumido desrespeito pela Lei do Estado e da Comunidade, deve ser usada sem equívoco.

A Barragem de Fridão - a ser construída - será erigida à custa da alienação da água do rio Tâmega, da implosão dos ecossistemas ribeirinhos, da degradação inexorável da qualidade da água, da destruição das paisagens do vale, da desregulação dos regimes hídricos, da eliminação das áreas de lazer junto ao rio, e da imposição do sacrifício da insegurança que reacairá sobre a cidade de Amarante.

Portanto, dada a oportunidade que a todos se oferece para resolver a dúvida que está abrigada na casa de todos nós (?) amarantinos, antes que se inicie outra qualquer consulta temática - que até poderá vir a ser 'concorda ou não, ou tanto faz' que o esgoto continue a cair directamente no rio Tâmega -, deixe o seu contributo, dê a sua opinião para esclarecimento dos decisores autárquicos, descarregando o voto com um click, em http://www.cm-amarante.pt/index.php?info=YTo0OntzOjQ6Im1lbnUiO3M6MzoiY2FtIjtzOjM6Im1pZCI7YToxOntpOjA7czoxOiIxIjt9czozOiJjaWQiO3M6MToiMSI7czoxMzoidmVyc2FvX3RhYmVsYSI7czo2OiJvbmxpbmUiO30
Se os resultados do inquérito espelham no momento a vontade dos que nele participaram, no universo de 410 votantes, não há dúvida quanto à opinião geral dos participantes sobre a construção da Barragem de Fridão no rio Tâmega, seis (6!) quilómetros a montante da cidade de Amarante:

Concordo
28.05 % (115)

Não concordo
67.8 %
(278)

É-me indiferente
4.15 % (17)

Contudo, a enormidade das questões que a artificialização do rio imporá com a construção de duas (2!) barragens no escalão de Fridão e com as outras quatro (4!), todas a montante de Amarante, com que se cumprirá a denominada «cascata do Tâmega», não pode ficar por este tipo de contabilidade.

É necessário que se cumpra, sem sofismas nem artimanhas, o cabal esclarecimento de toda a população do Tâmega!

José Emanuel Queirós (Amarante) - 4 de Outubro de 2009
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega

sábado, 3 de outubro de 2009

RIO TÂMEGA/ BARRAGEM DE FRIDÃO EM DESTAQUE NA ERA-FM (92.7) AMARANTE







ENTREVISTA A JOSÉ EMANUEL QUEIRÓS (MCDT)
RIO TÂMEGA/BARRAGEM DE FRIDÃO NA ERA-FM (92.7) AMARANTE

MCDT - entrevista 1.ª parte


MCDT - entrevista 2.ª parte


Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega, in ERA-FM (92.7) AMARANTE - 19 de Setembro de 2009

Poluição do rio Tâmega - Resposta ao presidente da Câmara Municipal de Amarante








Poluição do rio Tâmega
Resposta ao presidente da Câmara Municipal de Amarante


Em entrevista recente a um meio de comunicação local, o presidente da Câmara Municipal de Amarante, insurgiu-se contra o comunicado da QUERCUS que denuncia a poluição do rio Tâmega à imprensa.

À falta de argumentos, o Sr. Presidente da Câmara não hesitou em recorrer ao insulto e à calúnia tentando desviar as atenções da realidade de um rio visivelmente poluído. O facto é que a poluição do rio Tâmega fala por si e está à vista de toda a gente.

Ao invés de investir contra as organizações não governamentais de ambiente, teria sido muito mais interessante ver o Sr. Presidente da Câmara de Amarante a gastar as suas energias a resolver os problemas ambientais de Amarante e do Tâmega, definindo acções concretas a levar a efeito pela autarquia, e alertando o Governo para a necessidade da adopção de medidas que promovam o desenvolvimento sustentável da região Tâmega e respeitem o valor do rio e da água.

Tal seria ainda mais relevante tendo em consideração que o Sr. presidente da Câmara Municipal de Amarante está em funções há 14 anos, sendo que nesse período foi incapaz de inverter a progressiva degradação ambiental do Tâmega. Assim, enquanto presidente da Câmara, tem também responsabilidades no actual estado da situação que a Quercus ainda no passado dia 15 de Setembro veio publicamente denunciar em Formão (Cepelos - Amarante).

A Quercus é uma organização que procura defender o ambiente, usando para tal diferentes estratégias. A denúncia é apenas uma dessas estratégias. É muito importante que todos compreendam que cada agente tem o seu papel e que, não obstante a diferença de opiniões que possa existir, todos têm o direito a dar a sua opinião, desde que fundamentada e de forma correcta. Foi isso que a Quercus fez ao denunciar esta situação.


Imagens esclarecedoras do estado do rio Tâmega na albufeira do Torrão (Amarante) em 2008:

http://www.youtube.com/watch?v=hzfCJeJ3S90

http://www.quercustv.org/spip.php?article186


A denúncia do estado de morbidez do ambiente hídrico do Tâmega em Agosto/Setembro 2009:

- O RIO TÂMEGA A JUSANTE DE AMARANTE EM AGOSTO DE 2009 - Amarante http://sol.sapo.pt/blogs/PlenaCidadania

- Albufeira do Torrão, uma situação do futuro - Cabeceiras de Basto http://remisso.blogspot.com/2009/09/albufeira-do-torrao-uma-situacao-do.html#comments

- "Os Destroços de Um Rio" - Amarante http://anabelapmatias.blogspot.com/2009/09/os-destrocos-de-um-rio.html

- Rio Tâmega em Amarante - «o rio ideal para um filme de terror»! - Amarante http://centroparoquialgondar.blogspot.com/2009/09/rio-tamega-em-amarante-o-rio-ideal-para.html

- Rio Tâmega agonizante - Amadora http://peroladecultura.blogspot.com/2009/09/rio-tamega-agonizante.html

- Um país que se espelha num rio - Covilhã http://olhaiosliriosdacampos.blogspot.com/2009/09/um-pais-que-se-espelha-num-rio.html

- Amarante: Poluição do Tâmega em Amarante, com uma eutrofização incrível a jusante da Etar de Amarante! - Amarante http://informaticahb.blogspot.com/2009/09/amarante-poluicao-do-tamega-em-amarante.html

- Verdete [Rio Tâmega] - Arco de Baúlhe http://malmaior.blogspot.com/2009/09/verdete.html

- Um Dia Guerrearemos por Água - Paredes http://beatrizmadureira.blogspot.com/2009/09/um-dia-guerrearemos-por-agua.html

Textos reproduzidos e patentes no site/blogue do Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega - http://artigosediscussao.blogspot.com/


Vapores em OCS exalados da jornada induzida no Tâmega em 15 / 09 / 2009:

Atenção: não fazer copy-paste dos links em baixo, mas clicar na hiperligação

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=148019
http://artigosediscussao.blogspot.com/

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1362849&seccao=Norte

http://www.maraoonline.com/MARAO_2009/MARAO_online/Entradas/2009/9/16_RIO_TAMEGA__Quercus_quer_investigacao_do_MP_sobre_degradacao_do_rio.htmlhttp://www.tamegaonline.info/v2/noticia.asp?cod=2527

http://jornal.publico.clix.pt/noticia/16-09-2009/quercus-alerta-para-estado-de-degradacao-17813525.htm

http://twitter.com/SolOnline/status/4008281640

http://jornal.publico.clix.pt/magoo/noticias.asp?a=2009&m=09&d=16&uid=&id=320884&sid=60693

http://sol.sapo.pt/forums/thread/1400863.aspx

http://www.amarantejornal.com/

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1400895

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=176474

http://www.jornaltvs.net/noticia.asp?idEdicao=181&id=21679&idSeccao=2691&Action=noticia

http://www.abcdoambiente.com/index.php?option=com_content&task=view&id=1081&Itemid=153

http://artigosediscussao.blogspot.com/2009/09/ambiente-quercus-quer-degradacao-do.html

http://artigosediscussao.blogspot.com/2009/09/ambiente-quercus-insurge-se-contra.html

http://artigosediscussao.blogspot.com/


Repercussões da acção da Quercus em blogues:

http://anabelapmatias.blogspot.com/2009/09/quercus-comunicado.html

http://florestadointerior.blogspot.com/2009/09/o-rio-tamega-e-vergonha-do-ambiente-em.html

http://informaticahb.blogspot.com/2009/09/amarante-quercus-quer-investigacao-do.html

http://poramarantesembarragens.blogspot.com/2009/09/rio-tamega-e-vergonha-do-ambiente-em.html

http://harpaedanca.blogspot.com/2009/09/o-reporter-estava-la.html#comments

http://remisso.blogspot.com/2009/09/albufeira-do-torrao-uma-situacao-do_16.html

http://chatinhobasto.blogspot.com/2009/09/quercus-exige-investigacao-poluicao-do.html

http://www.ecoblogue.net/index.php?option=com_content&task=view&id=3977&Itemid=6

http://remisso.blogspot.com/2009/09/albufeira-do-torrao-uma-situacao-do_16.html

http://dasmargensdorio.blogspot.com/2009/09/rio-tamega.html

http://marco2009.blogs.sapo.pt/187301.html?thread=583589

http://pensarbasto.blogspot.com/2009/09/feridao-ambiental-ii-cumplices-do-crime.html

http://peroladecultura.blogspot.com/2009/09/e-urgente-salvar-o-rio-tamega.html

http://www.profblog.org/2009/09/vale-pena-divulgar-as-denuncias-que-o.html

http://lendosempre.blogspot.com/2009/09/um-rio-sera-o-rio-tamega.html

Vila Real, 28 de Setembro de 2009

A Direcção do Núcleo Regional de Vila Real e Viseu da
Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

in Quercus - 28 de Setembro de 2009

AMBIENTE: Câmara de Amarante acusa Quercus de falta de credibilidade





AMBIENTE:
Câmara de Amarante acusa Quercus de falta de credibilidade


Paula Costa, in repórter do marão (N.º 1222 - Ano 25 - p. 4) - 28 de Setembro de 2009

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS) - Moção pelo rio Tâmega

Moção pelo rio Tâmega na Assembleia da CIM Tâmega e Sousa

«PELO DIREITO À VIDA NO VALE DO TÂMEGA! PELO TÂMEGA LIVRE DA PRESSÃO DAS BARRAGENS!»

«Moção» na Assembleia da CIM-TS (Penafiel) - 29 de Junho de 2009

Registo da intervenção de José Emanuel Queirós (Amarante) na apresentação da Moção «Pelo direito à vida no Vale do Tâmega! Pelo Tâmega livre da pressão das barragens!», durante a terceira sessão da Assembleia da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS), ocorrida em Junho (29) de 2009 na cidade de Penafiel.

José Emanuel Queirós, in Assembleia da CIM-TS (Penafiel) - 29 de Junho de 2009

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Tâmega ameaça a saúde pública

Tâmega ameaça a saúde pública

Fotografia de Anabela Magalhães

O rio Tâmega, que passa em Amarante está contaminado com algas tóxicas e bactérias nocivas que podem lesar o fígado e a pele.

O programa da SIC "Nós por cá" foi fazer a reportagem que pode ser vista aqui e abre espaço a comentários.

Este Blogue já noticiou aqui e aqui este desastre ambiental que urge resolver.


Helena Feliciano, in Pérola de Cultura - 1 de Outubro de 2009

Tâmega - A Morte de um Rio

[Tâmega] A Morte de um Rio


A vergonha do Tâmega no "Nós Por Cá" da SIC.

A tragédia não é mais que o resultado da " transferência da propriedade do rio, que era de toda a população,(...) e passou para usufruto único de uma empresa de exploração de energia", como diz João Branco da Quercus. E as consequências estão à vista e ao nariz de todos. O Tâmega desligou-se da sua cidade, das suas pessoas e está impróprio para outra utilização que não alimentar turbinas de barragem. A morte de um rio é a morte de uma cidade.

Importa acrescentar que o "problema [do tratamento das águas pluviais] em vias de resolução" pelas câmaras de Amarante e Chaves, segundo as palavras do responsável da Administração Hidrográfica do Norte, vai para lá daqueles dois municípios. O rio que, como qualquer outro, tem uma tendência natural ao fenómeno de eutrofização nestas condições, vem poluído desde Espanha. Realidade à qual se acrescenta o deficiente tratamento das águas residuais drenadas pelo Tâmega e afluentes, nomeadamente em Cabeceiras de Basto ou Mondim de Basto.

Com isto, não será de estranhar o drama dos amarantinos multiplicado por 5, com a construção das novas Barragens no mesmo vale, a banhar-nos as bordas.

Vítor Pimenta, in O Mal Maior - 30 de Setembro de 2009