domingo, 15 de novembro de 2009

Barragens no Tâmega - Convite a António Neves de Carvalho (EDP)

Programa Nacional de Barragens

Albufeira do Tâmega - Canguido - Amarante

Fotografia de Anabela Matias de Magalhães

Confesso que esta teoria, agora posta a circular por António Neves de Carvalho, que considera "que as novas infraestruturas vão ajudar a alcançar esse objectivo" de cumprir a directiva europeia sobre a qualidade da água, a que Portugal está obrigado até 2015, é original.
Tiro-lhe o meu chapéu pela criatividade revelada. E informo-o que já rebolei de tanto rir.
E só acrescento que, nos dias que correm, qualquer teoria, sobre o que quer que seja, não apanhará ninguém desprevenido.
Porque, nos dias que correm, tudo, mas mesmo tudo, é possível!
Entretanto não posso deixar de convidar António Neves de Carvalho para uma banhoca no Tâmega.


EDP contesta críticas da UE sobre Plano Nacional de Barragens

"A EDP não acredita que as críticas que chegaram da União Europeia venham a pôr em causa o Plano Nacional de Barragens. É a primeira vez que empresa comenta o relatório encomendado por Bruxelas para avaliar o alargamento do sistema hidroeléctrico português.

Jornalista da TSF, Artur Carvalho, registou os argumentos do director nacional da EDP que contesta relatório da UE

No documento afirma-se que o caderno definido pelo Governo ameaça as metas europeias para a qualidade da água, assim como a biodiversidade nos locais onde as barragens vão ser construídas, mas estes são reparos que a EDP contesta.
A eléctrica nacional, que ganhou a construção de três das sete barragens já atribuídas, está segura de que o processo é sólido e que o relatório dos peritos não vai pôr em causa a sua execução.
António Neves de Carvalho, o director nacional da EDP para a área da sustentabilidade e ambiente diz que as criticas reveladas esta semana não fazem a empresa temer que o processo tenha de voltar à estaca zero.
O responsável da EDP contesta o aviso feito no relatório de que as novas barragens colocam em risco o cumprimento por parte de Portugal da directiva europeia sobre a qualidade da água que deve ser cumprida até 2015.
António Neves de Carvalho considera, ao contrário, que as novas infraestruturas vão ajudar a alcançar esse objectivo e portanto o director da eléctrica nacional considera que só pode haver uma grande dose de equívocos entre Lisboa e Bruxelas.
Este é um excerto da entrevista feita numa emissão especial Terra-a-Terra- Energia da Água, que vai passar na antena da TSF no próximo domingo das 9h às 11h."

in TSF - 13 de Novembro de 2009

Anabela Magalhães, in Anabela Magalhães - 14 de Novembro de 2009

Sem comentários: