quinta-feira, 20 de maio de 2010

MCDT perde um dos seus fundadores: Doutor Joaquim José Macedo Teixeira - Saudade sem reparação

MCDT perde um dos seus fundadores
Doutor Joaquim José Macedo Teixeira - Saudade sem reparação

No momento em que perdemos do nosso convívio aquele que tínhamos como exemplo vivo de Grandeza Humana dissimulada entre comuns mortais, ficamos brutalizados pelo absurdo ilusório deste palco terreno onde estamos jogados.
Doutor Macedo Teixeira, Joaquim José Macedo Teixeira de seu nome completo, devolveu-se à eternidade desde este plano existencial, ontem (19/05) no edifício-reservatório do Centro Hospitalar do Vale do Sousa em Amarante, antes Hospital São Gonçalo, onde entrara pelo seu próprio pé cinco dias antes, em estado de saúde muito debilitado.
Acompanhámo-lo de perto há vinte cinco anos e nele sentíamos uma profunda sabedoria ancestral em ruptura com as marcas de que se faz este nosso mundo. Dos seus olhos brotava a Luz que a alguns é capaz de cegar e do seu coração a força de um laço definitivo a uma fraternal Amizade a todos que o conheceram e à sua Amarante a quem se entregou e o cobriu até à sua última morada terrena em Lufrei.
O seu exemplo é tão grande na simplicidade em que sempre se resguardou quanto no Humanismo que infundia naqueles que tiveram o privilégio da sua companhia, que por mais voltas que as palavras tentem serão sempre curtas e cingidas perante a memória deste Amigo, filho e Servo de Amarante, onde foi Professor e pedagogo, Presidente da Câmara, destacado membro da Assembleia Municipal, fundador de associações culturais, activo militante da vida associativa nas suas múltiplas vertentes, de uma entrega genuina às causas públicas cujo exemplo perdurará para sempre naqueles que assim o conheceram e o respeitam como Irmão.
A sua Cruzada estendeu-a ao Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega (MCDT) de que foi seu fundador e incansável delator da famigerada Barragem de Fridão e do demoníaco Programa-patranha Nacional de Barragens.
'Do assento etéreo aonde subiu' nos continue a iluminar e dele possamos ter sua magnificente protecção quando a perda sentida pelo vazio que em nós deixou não tem mais reparação.

José Emanuel Queirós - 20 de Maio de 2010
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega (Amarante)

2 comentários:

Anónimo disse...

Endereço os meus sentimentos para todos os que o conheciam e familiares

António Cerveira Pinto

Anónimo disse...

A perda de um amigo é sempre uma situação penosa e muito dolorosa. Fica para sempre a sua recordação e o seu exemplo, que são semeados e transmitidos pelas gerações vindouras.

António Luis Crespí