quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Projecto BARRAGENS NÃO, TURISMO SIM!








Projecto BARRAGENS NÃO, TURISMO SIM!

Um exemplar Novo Projecto de Limpeza, que poderá canalizar este movimento cívico, na sua dimensão nacional, para um gravíssimo problema de algumas regiões!

Este é o “exemplo perfeito” de um NPL (Novo Projecto de Limpeza), tal como preconizado pelo “Manifesto e Projecto pela Continuidade em Conformidade”…

…algo que só se Portugal inteiro se mobilizar para impedir algumas atrocidades regionais, absolutamente devastadoras, poderá ter algumas probabilidades de sucesso...

Em Foz Coa, conseguiu-se impedir a construção da barragem… Acreditemos que é possível!


PROJECTO BNTS = BARRAGENS NÃO, TURISMO SIM!

OBJECTIVO: Sensibilização da população nacional e das populações locais para a participação cívica necessária em acções concretas, com a finalidade de IMPEDIR A CONSTRUÇÃO DE NOVAS BARRAGENS HIDROELÉCTRICAS EM PORTUGAL, quer as programadas no quadro do “Plano Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroeléctrico”, quer as previstas à margem desse Plano.

TEMPO DE EXECUÇÃO: Indefinido.

Há já 165 grandes barragens hidroeléctricas em Portugal. Não seria mais lógico reequipá-las?

Atrocidades? Onde?

…Sobretudo em territórios desertificados do interior, onde só muito poucos sabem ou podem fazer-se ouvir, e onde a grande pobreza justifica um encolher ombros ou até uma esperança “Talvez assim ganhe um dinheirito que dê para ir para…”, a cidade grande ou o estrangeiro, fora dali onde mal se sobrevive…

Com as expropriações das terras a submergir, e com os efeitos das barragens, não são só os transmontanos que ficam expropriados das suas belezas naturais, da sua história, da sua cultura, das suas gentes (à construção de uma barragem está SEMPRE associado um grave decréscimo da população residente na zona envolvente), do seu potencial turístico único, das suas vias de comunicação (acessíveis, limpas e inócuas) para pessoas e mercadorias, etc. …É Portugal que fica também expropriado de Trás-os-Montes.

Mas não é só aí… Abordemos a construção de barragens que está prevista, contratada, adjudicada, e mesmo em curso (caso da Barragem do Baixo Sabor, em fase inicial), na sua globalidade. Depois, vejamos os detalhes das consequências de algumas delas, talvez as mais escandalosas. Mas todas estas barragens que estão “no papel” são, cada uma delas, uma vénia imoral aos interesses económicos da energia e do betão…

“Vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar.”, dizia a poeta.

Faço aqui uma compilação de reportagens, documentários, e outros vídeos, entre outras imagens, de grande densidade informativa. Veja alguns, veja todos, mas VEJA… Não podemos ignorar. Daqui a pouco será tarde demais.

Ou, melhor, reformulo parafraseando o título do multi-premiado documentário do Jorge Pelicano sobre a submersão da Linha do Tua pela futura Barragem de Foz-Tua, “PARE, ESCUTE, OLHE”:

Paremos …para pensar e para pôr a mão na consciência.

Escutemos …o som da água a correr nos rios onde a água ainda corre. Por pouco tempo, dizem.

Olhemos …para o futuro, e façamos o que está ao nosso alcance para impedir isto.

Que acham? …Vamos “LIMPAR BARRAGENS” das paisagens de um futuro sombrio que ninguém quer, num negócio que alguns tentam impor?

Madalena F. C. A. Homem Cardoso, in Limpar Portuga (Forum) - 11 de Julho de 2010

Sem comentários: