quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Rio Tâmega - Amarante: COMEÇARAM AS OBRAS DA NOVA ETAR DE VILA CAÍZ COM CAPACIDADE PARA 50.000 PESSSOAS





Rio Tâmega - Amarante
COMEÇARAM AS OBRAS DA NOVA ETAR DE VILA CAÍZ COM CAPACIDADE PARA 50.000 PESSSOAS
.
Num investimento estimado em cerca de 9.000.000 de euros, as Águas do Noroeste apostam em dois anos para a nova infra-estrutura estar a funcionar.

Finalmente a tão desejada ETAR de Vila Caíz começou a ser construída, cuja capacidade de tratamento de esgotos e águas residuais comporta todos os habitantes do concelho de Amarante. Como é por demais sabido, a ETAR de Amarante não responde de forma eficaz às necessidades actuais, sendo desctivada logo após a entrada em funcionamento do novo empreendimento. Os maus cheiros provocados pela Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) no centro de Amarante são as maiores razões de queixa dos amarantinos que agora verão este problema resolvido.
O Amarante Tv/Amarante Jornal acompanhou a visita ao local de vereador camarário Carlos Pereira e Paulo Queirós, administrador das Águas do Noroeste, na qualidade de dono de obra.
Para o administrador das Águas do Noroeste “esta é uma das mais importantes infra-estruturas que integram o sistema, por isso estamos muito satisfeitos com o arranque da obra”.
Paulo Queirós esclarece que a nova ETAR “estará equipada com as tecnologias mais modernas nesta área de tratamento de esgotos, com arejamento prolongado e irá ter o tramento de biogás produzido no tratamento das lamas e não trará quaisquer tipo de problemas para a vizinhança”.
Carlos Pereira, responsável pelo ambiente da edilidade referiu-nos que “esta é uma notícia que a câmara esperava já á algum tempo e demorou mais alguns meses por causa das expropriações”.
O Veredor conhece o mal-estar da população, consequência do deficiente laborar da ETAR de S. Gonçalo: “Durante o Verão tem sido regular os cheiros que pertubam a cidade, umas vezes por problemas técnicos, outros por descargas ilegais. São questões pontuais mas reconhecemos esse problema”.
Para finalizar o autarca quis sossegar a população dizendo que “queria alertar a população de Vila Caíz que não se trata de transferir o cheiro, trata-se de fazer uma obra nova dimensionada para 50.000 pessoas com moderna tecnologia e coberta, para não provocar cheiros”.


Delfim Carvalho, in @marante.jornal - 06 de Setembro de 2010

Sem comentários: