domingo, 5 de setembro de 2010

Tâmega - AMARANTE: Câmara admite poluição no Tâmega, mas garante qualidade da água da rede pública




Tâmega - AMARANTE
Câmara admite poluição no Tâmega, mas garante qualidade da água da rede pública
“Para já não há motivos para alarme. Quero tranquilizar a população”, acrescentou Carlos Pereira

O vereador do Ambiente na Câmara de Amarante, Carlos Pereira, admitiu hoje à Lusa que o rio Tâmega, a montante da cidade, apresenta “sinais de aparente poluição”, mas garante que está assegurada a qualidade da água para abastecimento público.

“Foram tomadas todas as precauções. Os nossos serviços da estação de tratamento (ETA) redobraram os cuidados com o controlo da qualidade da água captada no Tâmega em Amarante, para que a mesma tenha a qualidade exigida”, frisou o autarca.
“Para já não há motivos para alarme. Quero tranquilizar a população”, acrescentou o autarca à Lusa.

O Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega alertou hoje em comunicado para “descargas ilegais” de efluentes, alegadamente ocorridas nos últimos dias neste curso de água, a montante de Amarante.

Emanuel Queirós, daquele movimento, diz que na quinta feira eram visíveis na água manchas e espuma na zona do Borralheiro, a cerca de quatro quilómetros de Amarante, atribuindo a situação a descargas ilegais de efluentes de explorações agropecuárias, que não identificou.

Face à situação, os técnicos da autarquia, acompanhados por militares da GNR do Serviço de Proteção de Natureza e Ambiente (SEPNA) deslocaram-se à zona de Fridão, onde foram encontradas nas duas margens manchas e espuma, e ali fizeram a recolha de amostras para análise.

“Vamos analisar, mas tudo aponta para que não se trate de uma situação grave, até porque não parece haver peixes mortos nem cheiros”, afirmou o vereador.

Carlos Pereira acrescentou que tudo aponta para que a poluição já venha da região de Basto, a montante de Amarante, porque, sublinhou, já foram avistados sinais na zona da Ponte de Arame, próxima do limite do concelho.

“Talvez possa ter a ver com os muitos incêndios que houve nessa zona”, observou.

Também hoje o movimento de cidadãos alertou para a poluição que tem sido avistada no rio junto ao parque desportivo da Costa Grande, próximo do centro da cidade.

O vereador confirmou à Lusa que essa situação, que “aconteceu duas ou três vezes”, foi identificada pelos serviços, que a atribuíram a avarias na bomba de uma estação elevatória que encaminha os efluentes para a estação de tratamento localizada a jusante da cidade.

“As avarias, após terem sido detectadas, foram de imediato resolvidas”, afirmou Carlos Pereira, admitindo no entanto que enquanto tal não ocorreu foram lançados esgotos para o rio.

O vereador sublinha que o problema só será definitivamente resolvido quando estiver concluído o novo emissário, cujo projecto está em execução, o qual, explicou, conduzirá os efluentes à estação de Vila Caiz, esta já em construção.

Armindo Mendes (Lusa), in Tâmega online - 3 de Setembro de 2010

1 comentário:

Anónimo disse...

Tenho que discordar, que o facto de ter havido muitos incêndios florestais naquela região, em pouco ou nada vai afectar a corrente das Aguas do Tâmega e muito menos formar toda aquela espuma, a matéria orgânica decomposta pelo fogo e erodida pelas águas da chuva, o que ainda não aconteceu, podem na verdade colorar a água com tons cinzentos mas nunca dar-lhe aquele aspecto sebento.
Rodrigo Oliveira
Estudante de protecção Civil na Escola superior de Castelo Branco