terça-feira, 18 de outubro de 2011

Terceiromundismo: Facebook da EDP "invadido" por utilizadores descontentes





Terceiromundismo
Facebook da EDP "invadido" por utilizadores descontentes


A EDP parece estar a braços com um novo caso "Ensitel"... Não, a empresa não tentou processar ninguém por causa de um blogue, mas eliminou um comentário no Facebook, desencadeando uma autêntica guerra de forças com os utilizadores das redes sociais.

Tudo começou quando uma utilizadora publicou no mural da empresa uma mensagem em que dizia não ter pedido um plano nacional de barragens e colocava um link para uma página sobre o tema. Passado uns minutos, a empresa comentou o post, dizendo que "de acordo com o Código de Conduta" da página, iriam apagar o comentário, convidando a utilizadora a consultar o referido código, para o qual forneciam o link. A palavra depressa se espalhou pelas redes sociais, que declararam guerra ao
mural da EDP e têm entupido o mesmo sem parar há diversas horas, como forma de protesto.

A própria empresa respondeu ao sucedido pouco depois (ainda ontem, domingo), comentando o "print screen" que denunciava a situação e que circula pelas redes, dizendo que "o post foi apagado por violar o código de conduta nalguns items, entre os quais a repetição não construtiva da mesma mensagem". "Deverá reconhecer, ao longo de todo o mural da EDP, que zelamos pela sua manutenção equilibrada e nunca de censura", garante a empresa.

Porém, o esclarecimento não parece ter chegado para muitos utilizadores, que se concentram em inundar a página de comentários negativos ao referido "código de conduta" e à empresa em si, aproveitando para falar das recentes medidas apresentadas para o Orçamento de Estado. Tanto quanto é possível ver, nenhum comentário foi, no entretanto, apagado desde o início do "ataque".

Segue link para o Código de Conduta da empresa na sua página do Facebook:
https://www.facebook.com/grupo.edp?sk=app_228506590493791+

ACTUALIZAÇÃO: A EDP, no entretanto, já
respondeu à onda de comentários no seu mural. Num post colocado poucos minutos depois das 12h00, a empresa explica que tem "seguido com atenção os posts publicados no mural" e que está empenhada em "continuar a dialogar com a comunidade, de forma a criar um ambiente construtivo onde todos podem participar". A EDP esclarece, igualmente, que "o código de conduta" da página, "a par do código de conduta do Facebook", pretende "definir os princípios para o bom funcionamento da mesma e deve ser tido em conta por todos os membros da comunidade". "Estamos abertos a receber opiniões, sugestões e críticas que queiram partilhar connosco, às quais procuramos ativamente dar seguimento e acompanhamento", garantem.

A utilizadora visada também já comentou o sucedido, dizendo que nunca pensou que o sucedido "iria ter esta repercussão". "Não me incomoda muito ter sido banida, incomoda-me sim o que a EDP anda a fazer a este país, às pessoas e à Natureza, marketizando mentiras, e sem que nada seja feito para o impedir", diz Joana Couve Vieira.

Daniela Espírito Santo, in Nós na Rede - 17 de Outubro de 2011

4 comentários:

Itsjustanilusion disse...

Apagam paginas inteiras de comentarios..e já não se pode postar...as verdades doem a esses senhores..

Anónimo disse...

A EDP É UM PESADELO.
Têm o país como caução e os portugueses são seus reféns!...

José Emanuel Queirós

Anónimo disse...

dideca-te a pesca ó queirós.

Anónimo disse...

O JOSÉ MANUEL QUEIRÓS.PASSA O TEMPO TODO ATACAR A EDP. AFINAL QUERES O QUE UM LOGAR NA EDP, OU NA Camara da Amarante.cala essa boca de mal dizer a edp é uma nação viva a edp.