sexta-feira, 22 de julho de 2011

Tâmega - Mondim de Basto: capital t-shirt




Tâmega - Mondim de Basto
capital t-shirt

Já lhe chamaram a Sintra de Trás-os-Montes, o concelho mais minhoto da província, a capital do granito, a pérola do Alvão (esta, confesso, inventei-a agora), enfim, há para todos os gostos.

Entre o Alvão e o Tâmega - "Mondim terra das flores e dos bons jogadores" - podemos continuar às escuras, mas as letras (e d p) já por cá vão fluorescendo a várias cores.

Mondim pronto-a-vestir, nome de baptismo contemporâneo, cujo padrinho é um meu amigo (dizem que dos bota-abaixo), além de mais horrível, não traz valor acrescentado. Mas a verdade é que, um destes dias, pelo andar das águas, os nossos filhos vão parecer aquelas mocidades apoiantes dos queridos líderes - todos fardados por igual e a exibir o símbolo do "regime".

Vejamos então :

No Mondinense Futebol Clube, dos 5 aos anos em que ainda houver pernas, agora todos militam no edp barragem clube. Em minha casa, já há o gavetão edp com t-shirts e fatos de treino - escalão Petizes e escalão Benjamins. Ah!... e também o saco edp.

Aqui há dias, o meu filho de 9 anos, atleta do Mondinense, recentemente transferido para o edp barragem clube foi, no âmbito dos Encontros de Basto, enquanto aluno do Centro Escolar de Mondim, praticar uns jogos lúdicos para a escola de Molares: saiu de casa de verde e regressou de vermelho edp (tamanho L), com o emblema do risinho solidário!

Há pouco tempo atrás, mais vermelho ainda, vi dois vermelhos: fundação Benfica e fundação EDP distribuir mais 66 t-shirts para a rapaziada da minha terra. Felizmente, os meus rapazes que já são "obrigados" a jogar no edp barragem clube não são do Benfica, pois corria o risco de me aparecerem em casa com mais duas t-shirts para o tal gavetão das esmolas que vamos amealhando ainda que, falo por mim, contra vontade (é que não deixar os miúdos vestirem as t-shirts é condená-los a não poderem jogar - para prejuízo deles - o que, de todo, não farei).

Por coincidência, num fim de semana passado, o meu tal amigo veio visitar-me a Mondim. Na rua cruzamos, primeiro, com um grupo de miúdos todos de fato de treino - com gravação em tamanho XXL das letras EDP, nas costas do casaco. Depois, porque seria dia de torneio, mais dois grupos dos escalões da formação do Mondinense. Dessa vez, o meu amigo que tinha tornado a olhar para a juventude, perguntou :

- Oh pá! , a EDP vem cá jogar?

- não, respondi: esses somos nós.

- como, questionou?

- esses miúdos são os de Mondim, respondi.

- mas só se vê EDP, retorquiu.

- Oh pá!, é difícil de explicar: somos um clube pobre, poucos apoios, ... Mas esses miúdos que estás a ver são os nossos, só que a EDP é nossa amiga e dá-nos roupa.

- Hum !... olha que não, olha que não: a mim parece-me mesmo é um jogo entre a EDP e Mondim e eles estão é a jogar com vocês !...

Ainda tentei rebater, diga-se que sem sucesso, dizendo-lhe que as ofertas em roupa devem ser para continuar, pois vão-nos oferecer os estendais - linhas de muito alta tensão - para a pendurar.

De seguida, já a esplanar - acto de sentar a peida numa esplanada - eis que se começa a ouvir o espelho d'água do Paulo Gonzo. Dengoso e lamechas, o homem dos bons velhos tempos da Go Grall Blues Band, lá vai debitando - em melodia do "género construção de família" - palavras lindas, quase genesíacas, à volta da água a que nos querem obrigar.

Acto contínuo, o bota-abaixo do meu amigo, logo disse: o "espelho d'água" do Gonzo está gasto e cá - o exemplo do Torrão está à vista - a massa de água é meio de cultura para as cianobactérias - formando capas de matéria verde-azulada, em águas paradas e eutróficas. O melhor, continua, é depois da banheira cheia, vocês chamarem o padre Melícias para benzer a água, pois só a ajuda divina vos poderá dar o encanto prometido. Insistente, ainda disse: água choca e estendais perigosos, t-shirts e bonés para vocês; música e espelhos de água para os distraídos; compromissos, cachets, pagamentos por conta... para quem?

Bom !

Já agora, que estamos na onda do pronto-a-vestir, porque não pedir-lhes calções de banho? ... é que os nossos miúdos ainda querem veranear, enquanto se pode, no Tâmega, Chavelha e Ponte do Cabril.

Alfrado Pinto Coelho, in O Basto - 3 de Junho de 2011
Movimento Cidadania para o Desenvolvimento no Tâmega (Mondim de Basto)

Sem comentários: