segunda-feira, 14 de março de 2011

Tâmega - Mondim de Basto: Corre-me um Rio no peito (Fado)

Tâmega - Mondim de Basto
Corre-me um Rio no peito (Fado)


Fui baptizado no Poço,
Junto à roda do moinho,
Era eu menino e moço:
- A sua bênção padrinho!

O baptismo que perfilho,
Foi neste Rio que canto,
Em nome do Pai e do Filho,
Em nome do Espírito Santo.

Corre-me um Rio nas veias,
Corre cá dentro um sorriso,
Onde cantam as sereias,
Os salmos do Paraíso.

Quando tive de partir,
Chorei tanto, até demais,
Era o Tâmega a explodir,
Nos meus sacos lacrimais.

Nas artérias coronárias,
Corre um Rio de feição:
Saudades incendiárias,
A queimar o coração.

No altar que eu levanto,
Desta saudade sem jeito,
Água corre, corre pranto,
Corre-me um Rio no peito.

Luís Jales de Oliveira, in Corre-me um Rio no Peito - Março de 2010

Sem comentários: