sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

PNBEPH - Contra a barragem de Padroselos no rio Beça

Barragem No Beça

Já há uns dias em que estou para escrever um post que apoie o José Carlos Barros contra a barragem que vai ser construida no rio Beça, no concelho de Boticas. Ainda não o tinha feito porque gostava de me informar mais sobre o assunto para poder dizer algo.

O Francisco José Viegas já deu destaque ao caso.
A única coisa que posso dizer, agora, é que não quero nada mais uma barragem a cortar a paisagem barrosã, já estou farto de tanta insensibilidade para com a nossa riqueza natural, a fauna, etc. E a barragem não vai ser pequena, terá 90 m de altura e 0,5 Km de largura. Mas sei que não é apenas dizendo "não quero" que se pode tentar contrariar uma decisão política.

Sei que confio naquilo que o JCB diz. Ele é formado em Arquitectura Paisagista, já foi Director do Parque da Reserva Natural da Ria Formosa, trabalhou no gabinete do Ministério do Ambiente com o José Sócrates, e é uma pessoa com conhecimentos e experiência na área do ambiente. Além disso, importa referir, é um grande pescador que conhece os rios de lés a lés. Também sabe bastante de como as coisas funcionam ao nível político porque, para além de já ter trabalhado com o José Sócrates, é actualmente Vice-Presidente da Câmara de V. R. de Santo António.
E, melhor do que todas as qualificações que tem, é uma pessoa com uma sensibilidade rara para este tipo de questões, coisa que muitas vezes não acontece com pessoas que trabalham na área do ambiente e do património.
Eu imagino que vai ser muito difícil contrariar uma decisão do Governo, embora não ache que seja impossível.

Acho que vai ser difícil pelas seguintes razões:

É uma decisão do Governo e não estou a ver os autarcas a contrariar uma decisão governamental, ainda que os autarcas sejam PSD. Mais, esses autarcas são os mesmos que nunca demonstraram sensibilidade para com questões ambientais e de prezervação das riquezas naturais, ou outras. São esses autarcas que deixaram que se "plantasse" uma eólica num dos Cornos das Alturas (isto diz muito) e que nunca zelaram pela qualidade das águas, dos rios do concelho, que se tem vindo a degradar, por exemplo. Claro que esses autarcas vão dizer que sim ao projeto da barragem, nem que seja para mostrar que fazem algo (Apesar da obra não ser camarária, é um garante de mais uma inauguração e da visita de algum secretário de estado.) num concelho onde quase nada se faz e aquilo que se faz nunca é de qualidade. Autarcas que publicitam a "Sedução da Montanha" enquanto plantam eólicas nas montanhas mais emblemáticas e desprezam completamente as águas onde vivem as trutas da "Dieta de Montanha", só podem ser classificados como ridículos, muito ridículos.

Por outro lado, a oposição PS não se irá impor contra uma obra do governo PS. E mesmo que por algum motivo decidam que são contra, a única coisa que irão fazer é falar, nos cafés, claro, mal da obra depois dela estar concluída, porque é aquilo que fazem sempre (é a oposição mais ridícula que eu conheço!), nunca se dão ao trabalho de protestar contra seja o que for ou organizar um mero abaixo-assinado.
Se o Governo, que emprega técnicos, supostamente, de qualidade, não sabe tomar decisões ambientais que sejam correctas, também não me admira nada que os autarcas, que na maior parte dos casos são de uma ignorância extrema, nada façam sobre questões ambientais e de prervação do património.
Restará a população para fazer alguma coisa sobre o caso. Mas como a maioria da população do concelho é constituída por pessoas pouco informadas, o que não é de admirar pois muitos vivem a mais de 20 km da livraria e tabacaria mais próximas, não estou à espera que por sua iniciativa se vão por contra técnicos governamentais e relatórios complicados que não lhes seriam fáceis de compreender. Acredito que parte da população das aldeias limítrofes, da tal barragem, sejam instintivamente contra a construção, mas não saberão mostrar o seu desagrado com argumentos de força.
O resto da população do concelho e da vila, onde reina o marasmo e o torpor diário, rejubilarão com as dezenas de trolhas que virão construir a tal barragem e que darão animação à vida social e cafés da vila. O "jetset" botiquense também tudo terá a ganhar com a passagem de algum engenheiro ou topógrafo que poderão também dar um toque exótico às conversas corriqueiras da sociedade.
Também os cucos e cuscos irão adorar a construção da barragem, um tema que lhes vai servir para milhentas conversas. Que se foda o ambiente, as trutas e as enguias. O prazer de dar uma espreitadela à barragem em construção e ir contar a novidade num dos cafés da vila vai ser orgástico.
Por isto tudo, resta-nos o JCB para fazer barulho, movimentar pessoas e encontrar uma maneira de que a construção da barragem não se venha a fazer.
Eu não posso fazer gande coisa, a não ser contribuir com a minha assinatura nalgum abaixo-assinado e falar mal da barragem, nos cafés, claro.

Eu ando desconfiado que todas as barragens, ou quase todas, são uma grande estupidez e irei escrevinhar algo sobre as minhas desconfianças, noutro post.

in Bloguex - 14 de Dezembro de 2007