sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

PNBEPH - Barragem de Padroselos (Boticas) - "Meter água" no rio Beça

Meter Água

Estive a ler o Programa Nacional de Barragens com Elevado Potencial Hidroeléctrico, mais o artigo em PDF, Nota sobre o Programa Nacional de Barragens com Elevado Potencial Hidroeléctrico, e fiquei a saber que a barragem de Padroselos, no rio Beça, vai ter uma potência instalada de 113 MW e que vai produzir 102 GWh/ano.
Eu fico muito admirado de como é que um rio pequeno como o Beça poder vir a produzir 113 MW, que é o equivalente, em cavalos (1cv=735W), a 153.741 cv. Se um carro da fórmula 1 tem cerca de 800 cv, o rio Beça tem tanta potência como 192 desses carros! Parece-me cavalaria a mais para um rio tão calmo, onde eu já nadei tantas vezes, e que pouca água leva. É que a produção de energia numa barragem só pode gastar a água que o rio que a abastece lhe fornecer, senão seca, não adianta acumular muita água se só se pode gastar a que vai no rio.

Vamos lá fazer contas (Vou utilizar os conhecimentos que aprendi no liceu, em Chaves. Apesar de eu ser um emigrantezeco que anda para aqui nas jardinagens, ainda sei qualquer coisa.) a quanta água o rio tem que levar para produzir a potência de 113 MW. Sabe-se que a dita barragem vai ter 90 m de altura. Se 1 Kg de água cair da alturade 90 m, a energia que esse 1 Kg consegue transferir para a turbina é igual à sua energia potencial, que é dada por E=m×g×h. Se a massa m é 1 Kg, a constante da aceleração da gravidade g=9.8, e a altura h=90, a energia é E=882 J (J é de Joules). E esta quantidade de energia não é completamente produzida por causa da resistência do ar e do atrito, só se aproveita 76,5%, o que quer dizer que 1 Kg de água só pode produzir 674,73 J. Se imaginarmos que cai 1 Kg de água por segundo na turbina, a potência calcula-se como P=E/t, logo P=674,73/1, o que dá uma potência de P=674,73 W por quilo de água. Vamos (eu, vós corfimareis) lá calcular quanta água tem que cair por segundo para fazer a potência de 113 MW, o mesmo que 113.000.000W. Se 1Kg produz a potência de 674,73 W, são precisos 167.474 Kg para produzir 113MW! Que é o mesmo que dizer que se na turbina têm que cair 167 toneladas de água por segundo, ou que o rio Beça tem um fluxo de água de 167 toneladas de água por segundo!!!!!!!

Admitindo que a tal potência instalada é apenas a potência máxima das turbinas, vamos então fazer contas à energia produzida que é de 102 GWh/ano. Como o ano tem 365 vezes 24 horas, dá 8760 horas, tem que haver uma potência média de 11,6 MW para fazer esta energia, o que implica que haja um fluxo de água, médio, no rio de 17,2 toneladas de água por segundo, que mesmo assim ainda é mesmo muita água.
Conhecendo como eu conheço o rio Beça, um rio que em muitos sítios tem 6 ou 7 metros de largura, onde só se nada bem nas suas represas porque senão for aí a água dá pela cintura, e onde nalguns sítios é possível atravessar de jipe, não percebo como é que o fluxo pode ser de 17,2 toneladas de água (ou 17,2 metros cúbicos, é o mesmo) por segundo, em média, e muito menos 167! Como é que um jipe pode atravessar um rio e levar ao mesmo tempo com parte das 167 toneladas? Eu fico muito admirado com estes valores! Como é que um ribeiro como o Beça, um rio pequenino, pode fazer tanta potência como 192 fórmulas 1?!

Será que os técnicos não se enganaram?! Parece que os relatórios sobre a barragem têm vários erros, como os que são apontados aqui, por isso eu desconfio do que se apresenta nesses relatórios. Será que o Sócrates andou a dar trabalho a técnicos formados na Universidade Independente? Aquilo que me parece a mim é que algum desses meninos da Independente foi medir o fluxo do Beça com algum aparelho electrónico e se enganou, ao ler a escala, num factor de 1000, porque o que me parece mais certo é que no rio passem 167 Kg de água por segundo.

Parem a construção da barragem, o rio Beça não leva água suficiente para produzir energia que se veja, parem lá com isso, há outras opções melhores.

in Bloguex - 17 de Janeiro de 2008