sábado, 26 de fevereiro de 2011

Energias Reniváveis a entrarem na carteira dos accionistas: EDP Renováveis quebra compromisso e não paga dividendos





Energias Renováveis a entrarem na carteira dos accionistas
EDP Renováveis quebra compromisso e não paga dividendos


A EDP Renováveis não vai pagar dividendos aos accionistas este ano, ao contrário do que foi assumido no IPO. E não se compromete com qualquer data para a distribuição de resultados.

Rui Teixeira, administrador financeiro da EDP Renováveis explicou que a empresa preferiu reter os ganhos de 2010 para reinvesti-los em novos projectos.

Questionado sobre se a empresa distribuirá dividendos, o CFO disse que a administração preferiu reter os ganhos de 2010 para reinvesti-los em novos projectos. Rui Teixeira não tem uma previsão para já de quando a EDP Renováveis poderá entregar dividendos aos accionistas.

Na oferta pública inicial (IPO), a EDP Renováveis tinha assumido o compromisso com os investidores sobre o pagamento de dividendos a partir de 2011, com base nos resultados obtidos em 2010.

“A nossa decisão é que não vamos distribuir dividendos para reinvestir os lucros nos novos projectos”, disse Rui Teixeira durante a apresentação de resultados. O administrador financeiro afirmou ao Negócios que, nesta fase, “a EDP Renováveis não pode competir com as grandes utilities em termos de ‘dividend yield’”, pelo que Rui Teixeira diz ser “natural que a empresa ainda não esteja numa fase de distribuição de dividendos”.

Para o mesmo responsável, como os parques eólicos normalmente tem resultados mais baixos nos primeiros anos de actividade, a EDP Renováveis só no futuro deverá gerar uma rentabilidade que lhe permita remunerar os accionistas sem comprometer o investimento no seu próprio crescimento.

Quanto a perspectivas para 2011, a empresa diz que a evolução dos resultados dependerá muito do desempenho da capacidade já instalada, nomeadamente por via da evolução da disponibilidade de vento nos mercados onde está.

Ao nível dos preços da electricidade produzida, a EDP Renováveis aponta para uma estabilidade dos valores de mercado, mas admite que países como a Polónia e a Roménia possam contribuir positivamente para o preço médio do ‘portfolio’ da EDP Renováveis.


Miguel Prado* (miguelprado@negocios.pt), in negócios online - 24 de Fevereiro de 2011

* jornalista viajou a Madrid, a convite da EDP Renováveis

Sem comentários: