segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Sócrates: barragens vão ser construídas para dar continuidade aos grandes projectos






PS manifestou-se contra quando estava na oposição
Sócrates: barragens vão ser construídas para dar continuidade aos grandes projectos

O primeiro-ministro justifica a decisão do Governo de avançar para a construção das barragens na foz do Tua e no Baixo Sabor com a necessidade de se dar continuidade aos grandes projectos e de não provocar instabilidade.

"Um dos nossos problemas ao nível do investimento e do nosso desenvolvimento é os grandes projectos estarem sempre a ser mudados em função das mudanças do Governo", referiu Sócrates, justificando assim o facto de o PS, quando estava na oposição, ter criticado o anúncio da construção das barragens feito pelo anterior Governo.

O primeiro-ministro esclareceu que manteve a decisão do Governo PSD/CDS-PP, apesar de discordar da avaliação final feita pelo anterior Executivo, que optou pela obra contra "os pareceres técnicos".

"Achámos, feita uma avaliação, que devíamos manter a decisão anterior", afirmou.

Em Junho de 2004, quando era deputado na oposição, o actual ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, declarou que a decisão do Governo então liderado por Durão Barroso de avançar para a contrução das barragens era "claramente contra o Ambiente".

"As razões invocadas [pelo então Governo do PSD/CDS-PP] são eminentemente económicas, onde as questões da conservação do Ambiente são muito secundarizadas", disse na altura Pedro Silva Pereira sobre a decisão do então ministro do Ambiente Arlindo Cunha.

Os ambientalistas e a Comissão Europeia têm-se manifestado contra a construção da barragem no Baixo Sabor devido ao impacto da obra no ambiente, já que ocupará terrenos incluídos na Rede Natura 2000.

in Público - 23 de Dezembro de 2005

Sem comentários: