terça-feira, 9 de agosto de 2011

Bolsa - EDP mais fundo: Bolsa nacional perde quase 1% com EDP a afundar mais de 5%





Bolsa - EDP mais fundo
Bolsa nacional perde quase 1% com EDP a afundar mais de 5%

A bolsa nacional desvalorizou pela oitava sessão consecutiva num dia marcado pela recuperação das principais praças europeias. A EDP afundou 5,8% e foi a cotada que mais penalizou o índice principal.


O índice PSI-20 recuou 0,99% para 5.993,87 pontos, com 14 cotadas a descer e seis a subir. Isto numa sessão em que as praças europeias acabaram por subir e levar o índice de referência para a Europa, Stoxx 600, a fechar em alta de 0,86%.

Durante a sessão de hoje 12 das 20 cotadas do principal índice nacional renovaram mínimos de mais de 12 meses. A subida das acções europeias veio interromper um ciclo que já ia em oito dias seguidos a desvalorizar e que levou o índice de referência para a Europa a mínimos de dois anos. Lisboa não conseguiu acompanhar esta recuperação e fechou em terreno negativo, embora longe dos mínimos da sessão, quando chegou a cair perto de 5%.

O sector energético esteve a liderar as perdas da oitava sessão consecutiva de quedas na bolsa nacional.

A EDP foi a cotada que mais pressionou a bolsa nacional e renovou mínimos de Julho de 2005. A eléctrica liderada por António Mexia caiu 5,80% para 2,094 euros e a sua participada EDP Renováveis declinou 2,51% para 3,887 euros. A REN, que gere a rede eléctrica nacional, perdeu 3,90% para 2,12 euros.

A Galp Energia também foi das que mais pressionou e também renovou um mínimo de mais de um ano ao negociar nos 11,60 euros, na sessão em que chegou a perder mais de 10% ao acompanhar a queda do preço do petróleo. A petrolífera acabou por encerrar a sessão a perder 2,39% para 12,67 euros por acção.

Pela positiva destacou-se a Jerónimo Martins que terminou a sessão em alta de 3,16% para 12,24 euros. A retalhista quebrou assim um ciclo de seis dias em queda.

Também a contrariar maiores perdas esteve o BCP que negociou impulsionado pela notícia de que o BNP Paribas estará a preparar-se para comprar o banco liderado por Santos Ferreira. Os títulos do banco subiram 3,31% para 0,281 euros, enquanto o BES ascendeu 0,9% para 2,353 euros e o Banco BPI depreciou 0,58% para 0,86 euros. Já o Banif declinou 1,74% para 0,452 euros. O Banco de Portugal negou que o BNP tenha efectuado uma proposta para comprar o BCP, mas não negou o interesse do banco francês no BCP.

Também a Brisa negociou em alta depois de uma série de dias em baixa. A concessionária subiu 1,36% para 2,677 euros, depois de ter sofrido perdas significativas após apresentar resultados. A cotada renovou recentemente mínimos de 1997 e nas 11 sessões que terminaram ontem a cotada eliminou 25,4% da sua capitalização bolsista.

A Portugal Telecom perdeu 0,88% para 5,66 euros e renovou mínimos de Abril de 2009 ao negociar nos 5,641 euros. A Zon Multimédia, que perdeu 2,22% para 2,506 euros renovou mínimos de 2001 e a Sonaecom declinou 3,38% para 1,256 euros.

Além das duas operadoras também a Altri, a Sonae SGPS, a REN, Semapa, Sonae Indústria e Banif renovaram mínimos de mais de um ano.


Hugo Paula (hugopaula@negocios.pt), in negócios online - 9 de Agosto de 2011

1 comentário:

Anónimo disse...

EDP segue a trajectória suicida para o muro da realidade do seu colossal endividamento (17 pontes Vasco da Gama) — como o António Maria anunciou a tempo e horas . À época a imprensa incensava os números culturais do cabotino Mexia nas profundezas de uma barragem

OAM.